Uma das vítimas do vereador eleito Jorge William Biazze seria a deputada Therezinha Ruiz; entenda.

Após as eleições do dia 15 de novembro de 2020, um áudio, que seria a voz do presidente estadual da Pestalozzi Jorge Willian Biaze e mais duas pessoas, revela um esquema de compra de votos para a eleição do até então candidato a vereador.

O áudio explica que, além de comprar votos de famílias a R$ 50,00, alunos da instituição que cuida de pessoas com deficiências também iriam votar no candidato, e que o membro de uma facção criminosa extremamente perigoso, iria fazer parte da campanha. Ouça:

O áudio original tem o total de 11 minutos, e no final o candidato teria dito que seria bom encontrar outros “faccionistas” para ajudarem com mais votos e cita um investimento de R$ 6 mil a R$ 8 mil reais para essa finalidade.

Entenda o esquema de compra de votos no dia das eleições usando os mototaxistas:

Um outro áudio a seguir, mostra ainda a intenção do candidato de usar a Therezinha Ruiz para angariar mais fundos.

“Hoje eu mandei pedir uma ajuda para um negócio de doença. Acho que não vai cair mais nada não.” Diz Jorginho, e complementa: “Vou fazer ela me dar duas emendas bem gordas lá pra Pestalozzi e quando chegar na época vou dar um chute no rabo dela e vou explicar o porquê,” concluiu ele se referindo a deputada.

Pestalozzi

Em Nova Olinda do Norte o atendimento  a Pessoa com Deficiência é  realizado pela Pestalozzi, onde Jorge William Biazze, vulgo “Jorginho” é  gestor a quase duas décadas.

Uma carta que chegou ao Portal A Repórter, relata que Jorginho se intitula o idealizador da instituição, e que o fato é contestado por muitos no município. Ao longo de sua existência, a instituição  recebeu milhões  em recusos oriundos de convênios, Estado e município, como por exemplo, o recente convênio número 100/2020 – SEJUSC, no valor de 150 mil destinado  pela Deputada Terezinha Ruiz.

Funcionários cedidos  que prestam serviço  nesta instituição, relatam que o mencionado gestor, afirma que a Pestalozzi  repassa recursos à Prefeitura  de Nova Olinda, para que sejam pagos servidores e para custear    compra de  alimentos e materiais. Com isso, servidores, entre eles, professores pagos pelo FUNDEB,  ficam  a  disposição  do Sr. Jorge William Biazze para  prestarem serviços pessoais, como serviço  domésticos, entre outros, até em sua residência  de Manaus, diz a carta.

A denúncia finaliza questionando se as instituições que doam para a Pestalozzi acompanham a execução dos serviços, se são fiscalizadas e se há prestações de contas.

Eleições

De acordo com fontes, o candidato teria usado os deficientes físicos acima de 16 anos para angariar votos. É o que relata uma fonte que não quis se identificar por medo de represálias: “Ele pegou as crianças que já podiam votar, deficientes, e pediu que fossem levadas por professores contratados por ele para votar. E lá, os mototaxistas passavam o número do candidato.” Disse.

Outro áudio enviado em um grupo de WhatsApp chamado “Avante com Jorginho” revela que um professor estava como mototaxista procurando mais alunos para buscar. Ouça:

Como a instituição trata de alunos com deficiência, os professores são os responsáveis por acompanhá-los na hora da votação e esse, identificado como Professor Medeiros, foi um dos apontados no esquema em que buscava os alunos e votava em Jorge William por eles.

No final do pleito Jorginho foi eleito com 800 votos, e assume como vereador em janeiro de 2021.