Sem disposição para fazer atividade física? A culpa pode ser da menstruação. Especialistas ensinam como sincronizar as atividades.

Nem só de dias cheios de motivação vive a mulher focada em manter uma rotina saudável de atividades físicas. Há épocas em que o simples fato de levantar da cama parece um esforço enorme, e a vontade de pular a academia é grande. Embora a disposição seja resultado de uma ampla gama de fatores, para as mulheres, um aspecto a mais afeta os exercícios: o ciclo menstrual.

Quando se fala nessa “montanha russa” emocional e física que aparece mensalmente, os verdadeiros culpados são os hormônios. Em especial, o estrogênio e a progesterona, de acordo com Eduardo Motta, ginecologista do Hospital Sírio Libanês e professor da Universidade de São Paulo (USP).

“Cada fase do ciclo menstrual é marcada por diferentes flutuações de níveis hormonais”, adianta o especialista. “Se você dividir esse período em duas metades, é possível perceber que, em uma delas, as mulheres podem se sentir mais dispostas, enquanto na outra, podem ter certo desconforto com a prática de exercícios”, completa.

Por isso, conhecer o seu corpo e adaptar a rotina de treinos para cada fase do ciclo menstrual pode ser a estratégia ideal não apenas para tornar a prática mais prazerosa, mas também para potencializar os resultados da atividade física.

Etapas do ciclo

Período menstrual

Nos dias da menstruação, é normal sentir desconforto e falta de disposição para a atividade física. O incômodo por causa das cólicas, do fluxo abundante ou do inchaço corporal pode contribuir para reduzir a vontade de treinar.

Para driblar esses efeitos, a recomendação de Marissa Fontes, profissional de educação física na área da mulher, emagrecimento e hipertrofia da Bodytech Sudoeste, é investir em atividades aeróbicas leves, fazer uma boa caminhada, ou apostar em práticas como meditação e yoga.

“Cada fase tem suas próprias características, e respeitá-las é sem dúvida o caminho mais rápido para alcançar resultados e benefícios”, considera a personal.

Fase proliferativa

Já a fase proliferativa, que dura desde o fim do fluxo até o 14º dia, é o momento de “dar o gás, a hora é agora, sebo nas canelas”, diverte-se a educadora física.

“Nesse período, a mulher tem uma flutuação hormonal que estimula a libido, o que resulta em mais disposição”, explica a cirurgiã ginecológica Jordanna Diniz. Os principais responsáveis por uma possível vontade louca de correr uma maratona são o aumento da produção de estrogênio e liberação de noradrenalina, hormônios que melhoram a motivação e o desempenho.

Para aproveitar essa onda de energia, Marissa indica os treinos de musculação, funcional, pilates, atividades com luta e spinning entre as principais possibilidades.

Fase secretora

Após o 14º dia, a poeira começa a baixar e o organismo se prepara para uma possível gestação. Nessa época, que começa com o período fértil, o organismo inverte a produção de hormônios e quem dá as caras é a progesterona, trazendo consigo uma maior retenção de líquido e uma “mudança da percepção alimentar”, como define o ginecologista Eduardo Motta.

Portanto, a recomendação do especialista para o período que antecede a menstruação é apostar em atividades com a água, por exemplo, uma hidroginástica ou natação. “Você vai ter melhor relacionamento com essas atividades, que também não irão estimular sua irritabilidade”, indica.

Durante a etapa da ovulação, que termina no 17º dia, a personal costuma aconselhar exercícios aeróbicos, proprioceptivos, de equilíbrio, e resistidos. Mais perto ainda da próxima menstruação, quando a temida tensão pré-menstrual (TPM) dá as caras, Marissa sugere “exercícios mais leves, para dar um up no sistema linfático, como a dança, e o pilates solo”.

Mesmo que você acorde sentindo os efeitos do inchaço, irritabilidade, dores e flutuações de apetite característicos do segundo período do ciclo, resista à vontade de largar tudo.

“O exercício nessa época é importante para promover bem-estar e contribui para diminuir esses efeitos desconfortáveis”, garante Motta.

Além disso, o profissional inclui na lista de recomendações para a fase secretora evitar alimentos que favoreçam a retenção de líquidos — sim, também estamos falando de maneirar no sal da comida — e substâncias estimulantes como cafeínas e energéticos, “que podem te deixar mais irritada”.

É importante ressaltar que cada mulher vivencia o próprio ciclo de maneira diferente. Por isso, as indicações podem não funcionar para todo mundo. Lembre-se de ficar sempre atenta aos sinais e consultar o ginecologista regularmente — que conhece as suas características e saberá te orientar respeitando os limites do seu próprio corpo.

Fonte: Metrópoles