Consumidores de 11 estados brasileiros terão a possibilidade de pagar contas de energia pelo Pix, sistema de transferências e pagamentos instantâneos do Banco Central (BC). A novidade vale para clientes das distribuidoras do grupo Energisa e foi desenvolvida em conjunto com o Banco do Brasil (BB).

Um QR Code será inserido nas faturas físicas das concessionárias. Com isso, bastará o consumidor abrir o aplicativo do seu banco, apontar a câmera do celular e fazer o pagamento. Inicialmente, a novidade estará disponível apenas para clientes selecionados. Nos próximos três meses, o pagamento via Pix será expandido até atingir os 8 milhões de clientes das distribuidoras da Energisa. O grupo opera nos seguintes estados: Acre, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Paraíba, Paraná, Rio de Janeiro, Rondônia, São Paulo, Sergipe e Tocantins.

Apesar de o Banco do Brasil ter desenvolvido a solução tecnológica, a ferramenta estará disponível para clientes de qualquer instituição financeira, mesmo os não bancarizados. Como o Pix funciona 24 horas por dia, sete dias por semana, o pagamento poderá ser liquidado imediatamente, inclusive em fins de semana e feriados.

WhatsApp e Pix no BB

Desde novembro do ano passado, os clientes do Banco do Brasil podem usar o WhatsApp para cadastrarem chaves Pix e fazerem pagamentos e recebimentos pelo sistema. No caso dos pagamentos, basta o correntista enviar a foto do código QR para o aplicativo de mensagens que o assistente virtual do BB lê a imagem e completa a transação.

Em dezembro, o BB e a Receita Federal iniciaram o pagamento de alguns tributos federais via Pix. A autarquia passou a inserir o código QR nos novos modelos de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf). Neste ano, a novidade deverá ser estendida aos pagamentos do Simples Nacional, regime próprio para micro e pequenas empresas.

Serviços de telefonia

A expansão de recursos envolvendo a plataforma do BC vem ocorrendo de maneira gradual. Na 12º reunião plenária do Fórum Pix, que aconteceu no último dia 28 de janeiro,, ficou acertado que haverá ampliação do uso da ferramenta para pagamento de serviços pós-pagos de telefonia. Até o momento, apenas usuários de serviços pré-pagos se beneficiam da modalidade. A novidade foi anunciada pela Conexis Brasil Digital, nova marca do SindiTelebrasil – entidade que representa empresas de telecomunicações e de conectividade no país. E que é primeira entidade do setor privado a assinar um termo de cooperação com o Banco Central acerca da plataforma.

Segundo a Conexis, a novidade representa a capacidade de atender nada menos que 50% dos clientes que hoje fazem uso de conectividade e telefonia. “Estamos muito entusiasmados com a possibilidade de ofertar mais vantagens para a população e operadoras”, afirmou Marcos Ferrari, presidente-executivo da entidade. “Sobretudo em meio à pandemia, a conectividade tem exercido papel fundamental e representa o principal meio de acesso aos serviços bancários”.

Para o diretor da Organização do Sistema Financeiro do Banco Central, João Manoel Pinho de Mello, o avanço do acordo entre o BC e a Conexis também representa ganhos relevantes para as operadoras. “A oferta do PIX irá promover uma redução de custos de arrecadação, uma vez que hoje [as operadoras] precisam fazer convênios com outras empresas para realizar tal atividade”, afirmou. “Ao garantir benefícios para todos os participantes do processo, e por envolver alguns dos principais atores em seus respectivos setores, o avanço do acordo sobre o PIX Cobrança tem potencial de gerar uma dinâmica de pagamentos sem precedentes: de forma simples, rápida e eficiente”.

Fonte: Yahoo