Desde quando o governo do Amazonas assinou, em 19 de junho, o decreto autorizando a realização de eventos “drive-in” no Amazonas; produtores, empresários, artistas, organizadores, técnicos, prestadores de serviço, vêm obtendo resultados positivos com a exibição de shows, palestras, filmes e apresentações culturais.

Com o intuito de minimizar os efeitos da pandemia do novo coronavírus sobre quem sobrevive do setor cultural, o deputado Felipe Souza (Patriota) foi quem indicou a ação ao Governo e à Secretaria de Estado de Cultura, através do requerimento nº2500/2020, enviado no dia 28 de maio.

“Se tem um categoria que também sofreu bastante com toda essa crise, foi a da cultura. Um boa parte dos artistas amazonenses são trabalhadores informais que precisam de eventos para se manterem. Por isso intervim nesse sentido junto ao governador e a SEC, e agradeço a rápida resposta do executivo autorizando a realização desse tipo de evento” destacou Felipe.

Para o empresário, Bernard Teixeira, a iniciativa movimenta o setor, “é um evento mais institucional para o empresário com pouca capacidade de faturamento. Porém é um grande passo para a retomada dos eventos normais e, além de tudo, ainda movimenta a cadeia (todos os colaboradores do showbusiness) que está parada há meses”.

O diretor-presidente da Manauscult enxerga oportunidades na iniciativa. “Os eventos em formato “drive in” já são um modelo antigo, mas que retornou com vigor agora como uma alternativa para geração de emprego e renda de profissionais da área neste período de isolamento social causado pela pandemia. Apesar de ser tido como um formato relativamente “frio” pra shows e espetáculos, é uma oportunidade singular nesse momento que vivemos, já que permite que, uma vez observadas todas as normas de segurança preconizadas pela saúde pública, artistas possam se apresentar, produtores exerçam seus trabalhos, empresários consigam movimentar o setor e o público consiga ter acesso a esses produtos culturais. Ou seja, uma parte da cadeia econômica da cultura consegue ser ativada, e profissionais desse segmento podem, aos poucos, retornar seus rendimentos e projetos, atentos a todas as normas” enfatizou Bernardo.

Os organizadores dos eventos, devem adotar medidas sanitárias para resguardar a saúde e a segurança da população, priorizando os cuidados de higiene e distanciamento social, os eventos estão ocorrendo em ambiente aberto, público ou privado; os clientes ou espectadores permanecem no interior de um veículo, que deve ser exclusivamente carro de passeio, sendo vedado o acesso de motocicletas, motonetas, patinetes, bicicletas e similares, bem como de pedestres.