A cada item vendido, empresa doará R$ 1 para fortalecer ações de conservação do instituto.

Com o objetivo de contribuir e fomentar ações de conservação na Região Amazônica, a Terramazonia Superplants e o Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá assinaram um termo de parceria que prevê a aplicação de parte do lucro obtido com a venda dos produtos da empresa em projetos desenvolvidos pelo instituto. O contrato já está em vigor e tem duração de três anos, com opção de renovação.

Entre os principais itens do acordo, ficou estabelecido que a cada produto vendido, a TMZ doará R$ 1 (um real) ao instituto, para fortalecer iniciativas de conservação, desenvolvimento e manejo de recursos naturais conduzidas pela organização na Amazônia.

Além disso, o Instituto Mamirauá e a Terramazonia concordaram em discutir a possibilidade de levar a comunidades assessoradas propostas justas para fornecimento de insumos provenientes da agricultura familiar e do manejo sustentável para os produtos da empresa.

De acordo com o diretor técnico-científico da Terramazonia Superplants, Emerson Silva Lima, a parceria com o Instituto Mamirauá é a oportunidade que a empresa buscava de promover ações efetivas de conservação.

“Desde que fomos criados, temos como um ponto forte a visão da economia social, que é o compartilhamento dos lucros do negócio com as comunidades. O que a empresa deseja é desenvolver ações contundentes pela preservação e o Instituto Mamirauá é o melhor parceiro que poderíamos ter, por ser uma organização séria e que tem um trabalho reconhecido. Hoje em dia, as pessoas não querem mais apenas consumir um produto. Elas também querem saber de onde ele vem, como é feito. É o consumo consciente. O nosso consumidor vai estar contribuindo diretamente para ações de conservação”, disse.

Ele explica que a partir de 90 dias após o início da parceria, já será possível mensurar de forma mais clara alguns resultados.

“O objetivo principal é consolidar ações de conservação que queríamos tanto colocar pra funcionar. Não queríamos ficar apenas no discurso. A parceria possibilita transformar esse nosso desejo em realidade e dividir isso com os nossos clientes. Se torna uma ação nossa e deles também. É uma oportunidade para que as pessoas comuns participem das ações de conservação de uma forma direta, através do consumo de um produto que, além de saudável, traz benefícios para as comunidades e todo o bioma”, concluiu.

Para o diretor técnico-científico do Instituto Mamirauá, Emiliano Esterci Ramalho, a iniciativa é primordial para o desenvolvimento de projetos que beneficiam diretamente os povos amazônicos.

“É muito importante esse interesse de uma empresa privada em dar um retorno para a Região. Essa parceria, na prática, significa fazer um investimento, com base no lucro da própria empresa, em ciência, em melhoria da qualidade de vida das pessoas e conservação da Amazônia. Isso é louvável, porque nós sabemos que, atualmente, os investimentos nessas áreas são muito escassos”, exaltou.

Ele espera que, com a atitude da Terramazonia, outras empresas sintam-se motivadas a participar de processos do gênero.

“A parceria também traz um benefício potencial importante. Ela demonstra que as empresas podem assumir esse papel de apoiar e financiar esses temas, incentivando outras a adotarem as mesmas práticas e demonstrarem o mesmo comprometimento”, concluiu.

*Sobre a Terramazonia Superplants*

A Terramazonia Superplants nasceu com o propósito de promover a conexão entre a necessidade latente do bem-estar, a biodiversidade da Amazônia e a sustentabilidade econômica dos produtores locais. Graças à inspiração de farmacêuticos, PHD’s em biotecnologia, a empresa criou suplementos e ingredientes naturalmente funcionais – a base de plantas provenientes de comunidades locais – indicadas para cada momento específico do dia do consumidor, com o propósito de levar os benefícios da biodiversidade da Amazônia para a rotina de todos.

A TMZ utiliza frutos in natura cultivados por comunidades locais da região amazônica colaborando assim com a proteção contra desmatamentos e abandonos de áreas produtivas, proporcionando mais oportunidades e renda recorrente para a comunidade ribeirinha.

*Sobre o Instituto Mamirauá*

O Instituto Mamirauá é um dos centros de excelência do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI) e referência nacional e internacional em desenvolvimento sustentável para a conservação da biodiversidade e melhoria da qualidade de vida da população amazônica. Localizado na região do Médio Solimões, Amazonas, suas ações são voltadas à criação e à consolidação de modelos de uso da biodiversidade para o desenvolvimento econômico e social de comunidades tradicionais. Entre seus territórios de atuação estão as Reservas de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá e Amanã, que juntas somam uma área protegida de quase 3,5 milhões de hectares.

Os objetivos do Instituto Mamirauá incluem a aplicação da ação de ciência, tecnologia e inovação na adoção de estratégias e políticas públicas de conservação e uso sustentável da biodiversidade da Amazônia e também abrangem a construção e a consolidação de modelos para o desenvolvimento econômico e social de pequenas comunidades ribeirinhas por meio de tecnologias socialmente e ambientalmente adequadas.

A sede, em Tefé (a 522 quilômetros de Manaus), tem 4.000 m² de área construída, com salas e acervos de pesquisa, laboratórios, salas de aulas, biblioteca e outros. A organização também possui um escritório em Belém.