Em maio, número de pedidos foi de 960.258, salto de 53% em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo o Ministério da Economia.

A crise no mercado formal de trabalho agravada pela pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) empurrou 960.258 brasileiros para o  seguro-desemprego em maio. Segundo o Ministério da Economia, o número de pedidos do benefício subiu 53% no mês passado em relação ao mesmo período de 2019, quando foram registrados 627.779 requerimentos. Na comparação com abril, a alta foi de 28,3%.

No acumulado de janeiro até maio de 2020, foram contabilizados 3,297 milhões pedido do seguro-desemprego . O número representa um aumento de 12,4% em comparação com o acumulado no mesmo período do ano passado (2,933 milhões).

Em maio, os três estados com maior número de requerimentos foram São Paulo (281.360), Minas Gerais (103.329) e Rio de Janeiro (82.584).

O setor de serviços registrou a maior quantidade de pedidos de seguro-desemprego, respondendo por 42% do total. Em seguida, ficaram comércio, indústria, construção civil e agropecuária.

Fonte: O Globo