O infectologista da FMT listou uma série de dicas e recomendações para os eleitores

As eleições deste ano ocorrem num contexto desafiador devido à pandemia do novo coronavírus e, por isso, os cuidados com a prevenção no dia da votação precisam ser redobrados. O alerta é do infectologista da Fundação de Medicina Tropical Dr. Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), Antônio Magela, que listou uma série de dicas para o eleitor amazonense que irá às urnas no próximo domingo (15/11).

A principal proteção é o uso de máscara facial durante todo o período que estiver fora de casa, ou seja, o eleitor deve se proteger desde o momento que deixar a residência para votar, sem retirar a máscara e protegendo sempre nariz e boca corretamente.

De acordo com o infectologista da FMT-HVD, além disso, quem puder, deve comparecer ao local de votação sozinho, evitando levar crianças ou qualquer outro acompanhante. “Observar com bastante critério as regras de distanciamento social. Ir votar de maneira individual. Tivemos algumas eleições que as pessoas comparecem em núcleos familiares para votar, levavam crianças (…), mas nesta eleição temos essa característica diferente. Então, que o eleitor possa votar de maneira individual, evitando aglomerações”, reforçou.

O infectologista também ressaltou que e se a pessoa tiver qualquer sinal ou sintoma de que possa indicar que esteja com gripe ou infecção respiratória, ela não deverá comparecer à votação, fazendo a justificativa que é prevista em lei”, disse o especialista.

Transporte e objetos pessoais – Outro cuidado importante deve ser observado no transporte público. O infectologista recomenda para os eleitores, se possível, evitar veículos superlotados e fazer uso do álcool em gel para a limpeza das mãos. “São as orientações que são intensamente divulgadas. Observar todas as medidas de proteção e higiene pessoal. Evitar tanto quanto seja possível as aglomerações, inclusive no transporte coletivo”, ressaltou Antônio Magela.

Levar o mínimo de objetos para a seção eleitoral também é uma das dicas, segundo o especialista. Mais um cuidado que cada eleitor pode adotar é o uso de uma caneta pessoal na hora de assinar o caderno de votação.

Com relação ao uso da urna eletrônica, que tem a utilização comum por todos os eleitores, Magela afirma que é necessária a higienização das mãos antes e depois de acessar o equipamento.

“Em relação à urna, a orientação é que a pessoa sempre que possível leve seu frasco de álcool em gel (70%), sabendo que ele também vai estar disponível nos locais de votação. A pessoa faz a higienização das mãos antes de votar e imediatamente após o ato de votar, porque tocou diretamente nas teclas”, alertou.

Idosos – Após os 70 anos, a legislação brasileira destaca que é facultativo a obrigatoriedade ao voto. Mesmo assim, o infectologista ressaltou a faixa de horário que terá atendimento prioritário, como alternativa mais segura, aos idosos e pessoas que fazem parte do grupo de risco, que desejam exercer o voto.

“Há um horário especial para os idosos. É preciso que se tenha essa observação, no período das 7h às 10h da manhã, sendo prioritário para os idosos já é um fator de proteção para todos”, pontuou.

Eleições 2020 – A Justiça Eleitoral divulgou uma série de medidas de prevenção ao novo coronavírus. Ao entrar na seção, o eleitor deve mostrar seu documento oficial com foto, esticando os braços em direção ao mesário, que verificará os dados a distância.

Apenas em caso de dúvida na hora da identificação, o mesário poderá, excepcionalmente, pedir ao eleitor para se afastar dois passos para trás e abaixar a máscara brevemente, evitando se comunicar por esse tempo, apenas para o reconhecimento facial.

Nos locais de votação, não é permitido se alimentar, beber ou fazer qualquer outra atividade que exija a retirada da máscara. A permanência nos locais deve compreender apenas o tempo suficiente para a identificação e a digitação do voto.

Foto: Tácio Melo/Secom e Rodrigo Santos/ SES-AM
Sonora: Médico infectologista da Fundação de Medicina Tropical Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD), Antônio Magela.