De acordo com o governo da Bahia, 19 cidades estão sendo atingidas pelas fortes chuvas e 66 estão em situação de emergência.

Uma barragem no distrito de Iguá, no sul da Bahia, se rompeu na noite deste sábado e provocou uma forte enxurrada em diversas áreas do município de Itambé. A prefeitura publicou nas redes sociais um comunicado com pedido aos moradores de que evacuassem as margens do rio Verruga com urgência. O número de mortos pelas chuvas subiu para 18, de acordo com a Defesa Civil.

Na manhã deste domingo, a prefeitura municipal de Jussiape, na região da Chapada Diamantina, informou que outra barragem se rompeu e pode provocar uma forte enxurrada. A administração municipal informou os moradores por meio das redes sociais e disponibilizou o ginásio da Escola Municipal José Mancos Freire para abrigas familiares afetadas pelas águas.

Após o rompimento da estrutura de Iguá, Sheila Lemos, prefeita de Vitória da Conquista, a maior cidade da região e localizada a 55,9 km de Itambé, vistoriou com a força-tarefa formada para o enfrentamento dos efeitos das chuvas a área da BR-116 no Vale dos Quatis. Além da Defesa Civil e técnicos da prefeitura, a Polícia Rodoviária Federal e a Via Bahia fizeram no local o monitoramento do volume de água.

Segundo a Defesa Civil, não houve feridos nem foram constatados prejuízos na região. A Prefeitura de Vitória da Conquista chegou a avisar os moradores sobre o risco e, assim que soube do rompimento, comunicou o fato à Prefeitura de Itambé. Nesse município, deságua o rio Pardo, que recebeu todo o volume de água da barragem rompida.

“Tiramos todas as pessoas que estavam próximas desse córrego, então todas as medidas foram tomadas e estamos prontos para dar toda a assistência aos moradores. Agora é torcer realmente para que não quebre a estrada e não seja necessário interditar a 116”, disse a prefeita de Vitória da Conquista. O município havia sido atingido pelo rompimento da barragem dos Quatis, do Pradoso, na manhã deste sábado.

Fortes chuvas na Bahia

De acordo com o governo da Bahia, 19 cidades estão sendo atingidas pelas fortes chuvas e 66 estão em situação de emergência. Segundo a Defesa Civil, 286 pessoas se feriram e 15,4 mil estão sem casa. A população atingida, no total, supera 378 mil pessoas. Nesta manhã, o dono de uma balsa, de 61 anos, foi arrastado pelas águas no rio das Contas, no município de Aurelino Leal, subindo para 18 o número de mortos.

No momento, diversas cidades da Bahia estão em alerta em razão dos fortes temporais. Após as chuvas iniciadas na noite de quinta-feira, o número de desabrigados e desalojados cresceu. Até a tarde de sexta-feira, a Superintendência de Proteção e Defesa Civil do Estado (Sudec) e as prefeituras dos municípios atingidos registraram 4.185 desabrigados e 11.260 desalojados. 

Na noite deste sábado, Salvador acionou as sirenes de alerta no Bosque Real, em Sete de Abril, e Moscou, em Castelo Branco, diante do risco de deslizamento.

A Secretaria de Infraestrutura da Bahia (Seinfra) também monitora a situação das rodovias estaduais atingidas pelas chuvas durante o fim de semana. A equipe técnica acompanha as ocorrências registradas em ao menos 17 trechos de vias em seis regiões baianas. O trabalho vem sendo realizado no extremo sul, litoral sul, médio sudoeste, médio rio de Contas, Irecê e Recôncavo.

Ainda na no sábado, uma força-tarefa formada pelo governo federal, Governo da Bahia, secretários estaduais e municipais discutiu as ações de socorro às cidades baianas atingidas pelas fortes chuvas. “O momento é de solidariedade e trabalho. As diferenças políticas precisam ser deixadas de lado e todos precisam estar unidos para ajudar às vítimas das enchentes”, disse o governador da Bahia, Rui Costa (PT).

Equipes do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais e do Rio Grande do Norte seguiram para Ilhéus, também levando aeronaves e equipamentos para se juntar à operação.

Aviões de São Paulo

O governador em exercício de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), também autorizou, na manhã desse sábado, o envio de uma força-tarefa. Ao todo, 36 profissionais do Corpo de Bombeiros e do Comando de Aviação da Polícia Militar devem seguir para Ilhéus para atuar em uma operação integrada com outras forças de segurança. Espírito Santo e Maranhão já indicaram que vão prestar auxílio.

O Governo de São Paulo despachou, na manhã deste domingo, dois helicópteros Águia e dois aviões para auxiliar as vítimas das chuvas que atingem o estado da Bahia.

Foram enviados outros 14 profissionais do Corpo de Bombeiros e do Comando de Aviação da Polícia Militar, que embarcaram do Campo de Marte, na zona norte da capital paulista, e 16 da cidade de Ribeirão Preto.

Eles vão se juntar aos outros seis bombeiros que partiram, na noite deste sábado, da Estação de Bombeiros, do bairro do Belém, em direção ao sul da Bahia levando um caminhão com cinco embarcações.

A força-tarefa é composta de oficiais e praças especialistas em resgate, salvamento e logística. A operação é integrada pelo Corpo de Bombeiros de São Paulo, Comando de Aviação da Polícia Militar, Corpo de Bombeiros da Bahia, Fundação Florestal, Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e voluntários.

Campanhas solidárias

Diversas campanhas também estão sendo realizadas para arrecadar doações para as famílias atingidas pelas enchentes. A Prefeitura de Itambé arrecada mantimentos, produtos de higiene e limpeza para os moradores afetados pela enchente que atingiu o rio Verruga.

A partir deste domingo, o grupo Voluntárias Sociais da Bahia (VSBA) também se mobiliza em prol de arrecadações. Quem quiser ajudar poderá entregar alimentos não perecíveis, água, roupas e material de higiene e limpeza na sede do VSBA, que fica no Palácio da Aclamação, no Campo Grande, em Salvador, das 8h às 20h. A mobilização também permanece nos próximos dias.

Fonte: R7