A campanha visa conscientizar as pessoas dos malefícios do consumo exagerado de álcool.

A virada do ano é marcada pelas taças de espumantes e, algumas vezes, por festas cheias de excessos etílicos. Portanto, começar um detox logo no primeiro dia do novo ciclo não é uma má ideia. Para incentivar a ação, existe a campanha Dry January, que, em tradução livre, significa “janeiro sóbrio”.

O movimento, que começou em 2011, no Reino Unido, tem ganhando força ao longo dos anos. A criadora do Dry January é Emily Robinson, ex-CEO da ONG Alcohol Change. Há 10 anos, elas se preparava para uma meia-maratona e decidiu passar um tempo sem bebidas alcoólicas.

Emily, então, percebeu diversas melhorias: mais disposição, perda de peso e uma melhora considerável no sono. A jovem decidiu compartilhar a história e criou o Dry January, propondo que as pessoas fiquem 31 dias sem consumir nenhum tipo de bebida alcoólica.

“Se tivéssemos mais gente dando um tempo na bebida em janeiro, teríamos um número maior de pessoas repensando sua relação com a bebida alcoólica após perceberem os benefícios”, garante Emily. “Você verá sua pele melhor, sua carteira mais cheia e seus dias mais produtivos. Também sentirá seus passos mais agitados, sua mente mais calma e as noites melhores”, completa a idealizadora do Dry January no site do projeto.

Benefícios

A aposta de Emily está embasada na ciência. Apesar de alguns estudos mostrarem benefícios do consumo moderado de álcool na saúde cardiovascular, há pesquisas indicado os perigos e malefícios dos excessos.

A Universidade de Sussex, na Inglaterra, publicou um estudo, no ano de 2019, que avaliava os resultados dos participantes do projeto Dry January. Os números indicam uma melhora generalizada na qualidade de vida.

Mais de 70% dos participantes relataram estar dormindo melhor, 67% acreditaram ter mais energia e 54% viram melhorar na saúde da pele. Entre as pessoas avaliadas, 88% afirmara enxergar economia e 82% garantiram que iam repensar a relação com as bebidas alcoólicas.

Ajuda na balança

A mesma pesquisa também conseguiu registrar um benefício que atrai a muitas pessoas: a perda de peso. 58% dos participantes relataram emagrecimento ao ficar sem beber. Ao todo, participaram das pesquisa 816 pessoas.

O álcool, ao contrário do que algumas pessoas podem pensar, é um péssimo companheiro das dietas. Um grama de carboidrato ou de proteína tem quatro calorias e o álcool, sete. Mas a energia da bebida alcoólica é vazia, porque o nosso corpo não armazena nenhum componente dela.

Além disso, a ingestão de álcool funciona como um efeito dominó: atrapalha no processo de metabolização do corpo e afeta o sistema nervoso. Esses produtos reduzem a ação da leptina, um hormônio que age na sensação de saciedade, bem como potencializa a produção do neurotransmissor relacionado ao aumento da fome.

Fonte: Metrópoles