Indicadores operam no campo negativo, a despeito do bom humor internacional com dados positivos da Europa.

Os principais indicadores do mercado financeiro brasileiro operam nesta sexta-feira, 21, no campo negativo, a despeito do bom humor internacional com dados apontando para a recuperação da economia na Europa. Por volta das 11h30, o dólar avançava 0,52%, a R$ 5,305, depois de bater máxima de R$ 5,314 e mínima de R$ 5,272. O câmbio caminha para fechar a segunda semana seguida de alta depois de seis períodos consecutivos de retração. A moeda norte-americana fechou a véspera com queda de 0,73%, cotada da R$ 5,277. Apesar dos resultados positivos nas Bolsas internacionais, o Ibovespa, referência da B3, registrava queda de 0,37%, aos 122.251 pontos. O pregão desta quinta-feira, 20, fechou com alta de 0,03%, aos 122.700 pontos.

O cenário internacional renovou o otimismo depois que os dados da indústria e da prestação de serviços na Europa indicaram uma recuperação acima do esperado pelos analistas. Também hoje serão divulgados dados dos Estados Unidos. Ainda no cenário internacional, os mercados seguem analisando a ata do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês) que revelou que membros do Banco Central dos EUA (Fed) afirmaram em abril que a recuperação da economia justificaria a redução da política de estímulos, como a compra de títulos públicos e a manutenção da taxa de juros em níveis mínimos. O encontro ocorreu antes da divulgação de alta de 4,2% da inflação no mês passado, bastante acima do esperado pelo mercado. O Fed, no entanto, manteve a opinião de que o avanço inflacionário é transitório e que não deve mudar as metas da economia enquanto a medida não impactar significativamente na criação de empregos e na inflação.

Fonte: JP Noticias