O problema neurológico já foi identificado em 48 pacientes, com idades entre 18 e 85 anos – todos moradores da província de New Brunswick.

Uma doença cerebral rara tem intrigado os médicos do Canadá. Notificada pela primeira vez em 2015 como um caso “isolado e atípico”, agora, dezenas de moradores da província de New Brunswick apresentam sintomas muito semelhantes, envolvendo alterações no comportamento, alucinações, perda de memória e atrofia muscular.

As autoridades de saúde pública monitoram 48 casos pacientes, com idades entre 18 e 85 anos. Alguns entraram em coma e quatro faleceram, sendo que ainda não foi possível estabelecer uma causa comum para os eventos.

A maioria dos casos foi notificada depois que a agência de saúde pública canadense pediu que os médicos ficassem atentos aos pacientes com sintomas semelhantes à doença de Creutzfeldt-Jakob (DCJ).

A DCJ é uma doença cerebral degenerativa rara e fatal, causada por proteínas chamadas de priões, agentes infecciosos menores do que os vírus. Ela está associada ao consumo de carne contaminada com a doença da vaca louca. No entanto, testes feitos com os pacientes tiveram resultado negativo para a condição.

Os médicos acreditam que a doença é adquirida e não genética. Pesquisadores do país tentam descobrir se estão lidando com uma síndrome neurológica nova ou um conjunto de doenças não relacionadas; se há uma ligação real entre os casos; e qual é a causa deles. São investigados o histórico médico, fatores ambientais, água e comida, estilo de vida e viagens dos pacientes.

A lista de teorias é grande. Em entrevista à BBC, o neurologista Alier Marrero, do Centro Hospitalar da Universidade Dr. Georges-L.-Dumont, disse que uma das possibilidades é a existência de um elemento tóxico adquirido no ambiente que desencadearia as mudanças degenerativas.

Sintomas

Os sintomas listados incluem alterações no comportamento – ansiedade, depressão e irritabilidade –, problemas de memória, dificuldades para dormir, pesadelos e alucinações auditivas ao acordar.

Alguns pacientes podem desenvolver deficiências de linguagem que avançam rapidamente e que dificultam a comunicação, como gagueira ou repetição de palavras. Outros, apresentam a Síndrome de Capgras, um distúrbio psiquiátrico no qual os pacientes acreditam que uma pessoa próxima foi substituída por outra, um impostor.

“É bastante perturbador porque, por exemplo, um paciente dizia à esposa: ‘Desculpe, senhora, não podemos ir para a cama juntos, eu sou casado’ e mesmo quando a esposa dizia seu nome, ele respondia: ‘Você não é a verdadeira’”, disse o neurologista Alier Marrero.

São relatos também problemas gastrointestinais, dores inexplicáveis, dores musculares, espasmos involuntários e problemas de coordenação. Alguns pacientes acabam precisando da ajuda de andadores ou cadeiras de rodas.

Fonte: Metrópoles