Números do Banco Central mostram alta de 0,3 ponto percentual na comparação com agosto.

A dívida pública do governo atingiu R$ 6,9 trilhões em setembro e subiu para 83% do Produto Interno Bruto (PIB), alta de 0,3 ponto percentual na comparação ao mês anterior, informou o Banco Central nesta sexta-feira, 29. A Dívida Bruta do Governo Geral (DBGG), que compreende governo federal, INSS e governos estaduais e municipais, subiu pela primeira vez desde março. Em agosto, a dívida havia ficado em 82,7% do PIB. Segundo a autoridade monetária, a evolução foi resultado da incorporação de juros nominais, da desvalorização do real ante o dólar, das emissões líquidas de dívida e do crescimento do PIB nominal. No acumulado de 2021, a relação dívida/PIB registrou recuo de 5,9 pontos percentuais. As contas públicas registraram superávit de R$ 12,9 bilhões no mês, ante déficit de R$ 64,6 bilhões no mesmo mês de 2020. O governo central registrou superávit de R$ 708 milhões, enquanto os governos regionais e estatais tiveram saldo positivo de R$ 10,4 bilhões e R$ 1,8 bilhão, respectivamente. No acumulado no ano, o setor público consolidado registrou superávit primário de R$ 14,2 bilhões, ante déficit de R$ 635,9 bilhões no mesmo período de 2020. Nos últimos doze meses, o déficit primário do setor público consolidado atingiu R$ 52,9 bilhões.

Fonte: JP Notícias