Faltando cinco meses para escolha da nova presidência da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), as negociações de candidatos ao cargo de presidente estão em ritmo cada vez mais acelerado.

Por conta do regimento interno do Legislativo Estadual, o atual presidente, deputado Josué Neto, não concorrerá à reeleição. Isso abre espaço para que vários parlamentares corram atrás do sonho de comandar a Casa de Leis.

A reportagem do portal A Repórter apurou que, até o momento, existem três deputados realizando articulações nos bastidores do Legislativo, de olho na vaga que será deixada por Josué Neto.

A deputada Alessandra Campelo (MDB) nunca escondeu que deseja presidir a Aleam. A parlamentar é a atual vice-presidente da Assembleia, por isso larga na frente na disputa, pois tem grande capacidade de articulação com os demais 23 deputados estaduais.

Alessandra também tem aval do governador Wilson Lima, pois integra a base de apoio do governo dentro do Legislativo. O que pesa contra a deputada é seu temperamento explosivo e pouco aglutinador, que já causou atritos com vários colegas de parlamento.

Outro candidato que aparece na disputa pela presidência é o deputado Belarmino Lins (PP). Ele tem livre circulação entre os deputados da base de apoio do governo, bem como da oposição.

Belão, como é conhecido no ambiente político, possui tradição na política amazonense, ao lado do irmão, o deputado federal Átila Lins. Entre os servidores do Legislativo, Belarmino possui grande prestígio, pois sempre incentivou atividades que valorizam a “prata da casa”.

Correndo por fora e fazendo articulações nos bastidores está o deputado Adjuto Afonso (PDT). Ele nunca disputou a cadeira de presidente do Legislativo Estadual, porém a experiência de vários mandados confere ao deputado as chances reais de ser presidente.

Adjuto nega que esteja interessado no comando da Assembleia, mas nos bastidores do Poder e nas rodas de conversas dos deputados, o nome de Adjuto foi citado várias vezes como candidato à presidência da Aleam.