Serviço foi oficialmente aberto aos usuários em agosto de 2019

A dispensação de medicamentos do Componente Especializado da Atenção Farmacêutica (Ceaf) na Fundação Alfredo da Matta (Fuam) completa um ano com 700 pacientes atendidos. Iniciado de forma experimental em junho de 2019, o serviço foi oficialmente aberto aos usuários em agosto do mesmo ano, com o primeiro paciente recebendo medicação para acne grave.

Com a descentralização da dispensação do Ceaf pela Central de Medicamentos do Amazonas (Cema), a Fuam foi a primeira fundação do Estado a realizar o serviço diretamente da Farmácia Clínica da instituição, beneficiando pacientes que fazem uso dos medicamentos antes conhecidos como “medicamentos excepcionais” ou de “alto custo”. São pacientes crônicos que normalmente possuem comorbidades e precisam de acompanhamento médico e farmacoterapêutico contínuos.

Antes da implantação do Ceaf na Fuam, o paciente precisava se deslocar até a Cema para receber a medicação. Agora, com o serviço em pleno funcionamento, é possível recebê-la na própria unidade, facilitando o acesso, diminuindo o itinerário terapêutico e viabilizando a resolução mais rápida de qualquer problema que possa acontecer na documentação necessária para dar início à dispensação do medicamento. A mudança também significa economia de tempo e recursos financeiros para os pacientes.

Ceaf na Fuam – Segundo a subgerente de Farmácia, Eliene Canto, em um ano, com a implantação do serviço de dispensação dos medicamentos do Ceaf na Fuam, cerca de 700 pacientes já foram beneficiados, e o serviço não para de crescer.

“A cada dia ampliamos o número de atendimentos e estamos trabalhando para a constante evolução do serviço, oferecendo assistência farmacêutica, acompanhando e orientando sobre uso e armazenamento correto dos medicamentos, além de organizar todo o fluxo de atendimento para que o medicamento chegue até o paciente, atendendo a todas as exigências que o programa requer”, explica Eliene.

Além da rotina de dispensação, a Subgerência de Farmácia tem executado uma série de melhorias no fluxo do serviço, criando, por exemplo, o Guia Multiprofissional do Ceaf da Fuam, que traz protocolos para o atendimento dos pacientes que necessitam do Ceaf e os formulários de dispensação de medicamentos do paciente.

Com os formulários, toda a programação de medicação fica acessível também aos pacientes que levam em mãos, informações mais detalhadas sobre a medicação que recebem, algumas prescritas para um longo período, como três meses, por exemplo. A medida é simples, mas fez toda a diferença para a compreensão dos pacientes, que visualizam melhor o seu esquema de medicação e o prazo em que terão que retornar.

A equipe também organizou pastas, de acordo com a condição clínica, onde constam os formulários, notificações e lista da documentação necessária para incluir um paciente no Ceaf.

“Organizamos pastas com formulários, notificações, enfim, toda documentação e pré-requisitos necessários para que um paciente seja corretamente incluído no Ceaf; distribuímos de acordo com a doença, seja psoríase, artrite psoriática, acne grave, dentre outras, para consulta dos médicos, auxiliando bastante a prescrição da medicação, já que o profissional tem acesso a uma espécie de ‘checklist’ do que o paciente precisa para ter a medicação corretamente liberada pelo serviço”, explica Eliene Canto.

O volume de medicamentos dispensados é intenso, por isso a correta prescrição garante agilidade da equipe de farmácia em sua dispensação. “Só para dar um exemplo, medicamentos como o Metotrexato, um imunossupressor utilizado por pacientes de psoríase, chegam a ter 8 mil comprimidos dispensados todos os meses; temos cerca de 350 pacientes ativos, recebendo essa medicação continuamente”, explica Eliene.
Perspectivas – A Farmácia da Fuam ainda está em fase de reestruturação, tendo como próximos passos o aprimoramento das consultas para acompanhamento farmacoterapêutico para cada paciente. Nesta etapa, os pacientes são orientados sobre uso correto e armazenamento adequado do medicamento recebido, em especial nos casos de medicamentos imunobiológicos, que necessitam de armazenamento especial, como controle de temperatura.

Outra ação prevista é a implantação de duas Unidades Dispensadoras de Medicamentos (UDM) em dois setores da Fundação: no Serviço de Atendimento Especial (SAE) em HIV/Aids, na Gerência de Infecções Sexualmente Transmissíveis (Gist), que atende pacientes que recebem antirretrovirais; e na Gerência de Dermatologia, para dispensação de medicamentos hansenostáticos, utilizados no tratamento de pacientes de hanseníase.

Com esta descentralização, pretende-se facilitar ainda mais o acesso aos medicamentos pelos pacientes, que os receberão no próprio local de atendimento, com a equipe que os prescreve, mais próxima e igualmente apta a dar as devidas orientações. Para o serviço de farmácia, a descentralização dentro da própria Fuam representará uma maior especialização do atendimento, melhorando o fluxo de atendimentos dos pacientes na unidade.

FOTOS: Divulgação

Mais informações: Assessoria de Comunicação da Fundação Alfredo da Matta (Fuam): 3632-5806.