O combate à criminalidade em Manaus e interior do Estado foi discutido hoje (02-mar.), na Assembleia Legislativa do Amazonas. O que chamou atenção foram os ataques ferozes do deputado estadual Dermilson Chagas (Podemos) à secretaria estadual de Segurança Pública.

O deputado, que hoje reclama do trabalho executado por policiais civis e militares, elogiava o trabalho do ex-governador Amazonino Mendes no combate à violência, no ano de 2018.

Ao criticar o serviço realizado pelo atual secretário de Segurança do Amazonas, coronel Louismar Bonates, Dermilson menospreza o trabalho de milhares de policiais que diariamente arriscam a vida para proteger e servir a população.

O deputado esquece do escândalo envolvendo a contratação milionária, e sem licitação, de uma empresa de consultoria em segurança, ocorrida durante o governo de Amazonino Mendes.

Em dezembro de 2017, o então governador Amazonino Mendes contratou por R$ 1,6 milhão a empresa do ex-prefeito de Nova York, Rudolf Giuliani, a Segurity & Safety, para fazer um diagnóstico da segurança pública no Amazonas.

A contratação milionária e sem licitação deveria apresentar um plano para combater o crime organizado em Manaus e interior do Estado, porém o serviço jamais foi realizado.

Os R$ 1,6 milhão pagos à Segurity & Safety nunca foram devolvidos aos cofres públicos do Amazonas.

Em 2018, o Ministério Público (MP-AM) chegou a abrir uma investigação sobre a dispensa de licitação e o mau uso de recursos públicos.

Naquela época, Dermilson Chagas era deputado estadual e ocupava a função de líder de Amazonino na Assembleia Legislativa. O deputado era grande defensor da contratação da empresa do ex-prefeito de Nova York.

Com a descoberta do esquema de contratação irregular, Dermilson fez de conta que o governo de Amazonino jamais tivesse contratado a Segurity & Safety.

Até hoje o povo do Amazonas aguarda o resultado do estudo que seria feito pela empresa do ex-prefeito de Nova York, que recebeu o dinheiro, mas não entregou o serviço.