Os deputados estaduais Carlinhos Bessa (PV), Roberto Cidade (PV), Therezinha Ruiz (PSDB) e Saullo Vianna (PTB) vão interpelar judicialmente o presidente do Sindicato dos Médicos do Amazonas (Simeam), Mario Vianna.

O motivo da interpelação (pedido de explicações) é que o médico acusa os deputados de serem “comparsas” do governo do Estado, por isso não poderiam compor a comissão que analisa o impeachment do governador Wilson Lima.

Visivelmente irritado com as declarações do médico, Carlinhos Bessa disse hoje (29), na Assembleia Legislativa do Amazonas, que contratou uma equipe de advogados para processar Mario Vianna e o Simeam.

“Acabou a graça! Convido todos os colegas a entrar com uma representação contra o presidente do Simeam, que age de forma covarde”, afirmou Bessa. “Eu quero respeito, pois o que eu tenho de mais honrado é o meu nome”, acrescentou o deputado.

O discurso teve apoio imediato dos parlamentares que participavam da sessão plenária, entre eles a deputada Alessandra Campelo (MDB), que presidia a reunião.

Therezinha Ruiz e Roberto Cidade também apoiaram a decisão de Carlinhos Bessa, comprometendo-se em unir esforços na ação judicial contra o presidente do Simeam.

Na terça-feira (28), Mario Vianna apresentou uma questão de ordem pedindo que a Aleam anule a Comissão Especial que analisa o impeachment do governador Wilson Lima e do vice-governador, Carlos Almeida. No mesmo pedido, o Simeam pede a criação de uma nova comissão.

Na ação, os advogados de Mario Vianna afirmam que existem “fortes indícios” de que os deputados da atual comissão recebem propina do governo do Amazonas.