Os deputados estaduais ouviram, nesta sexta-feira (12), na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), as reivindicações dos representantes dos motoristas de aplicativo, mototaxistas e trabalhadores informais de Manaus. Entre os pedidos estão a redução do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) dos combustíveis, a facilitação de linhas de crédito para trabalhadores informais e outras medidas que possam ajudar a amenizar os prejuízos que esses trabalhadores estão tendo com as medidas restritivas.

Os representantes, que faziam manifestação em frente à sede do Parlamento, foram recebidos pelos deputados Josué Neto (Patriota), Delegado Péricles (PSL), Dermilson Chagas (Pode), Fausto Júnior (MDB) e Sinésio Campos (PT). Os parlamentares se comprometeram a buscar alternativas para as reivindicações dessas categorias.

O motorista de aplicativo Tiago Moreno dos Santos explicou que a categoria tem lutado principalmente pela redução do preço dos combustíveis a partir do ICMS. Segundo ele, o valor atual praticado em Manaus está pesando nos custos e reduzindo os ganhos desses trabalhadores. “Viemos pedir socorro ao Parlamento diante de tudo que o nosso Estado vem passando na mão do atual governo. Temos lutado bastante pela redução do ICMS no valor do combustível, algo que pode favorecer a categoria. E agradecemos muito os deputados terem nos recebido de forma tão respeitosa e cordial” afirmou.

Encaminhamentos

Josué Neto disse que os deputados vão buscar alternativas para a categoria, mas explicou que cabe ao Governo do Estado se posicionar sobre a redução do ICMS dos combustíveis. “Isso é algo que nós deputados não podemos fazer. Cabe ao executivo legislar sobre o ICMS. O governo produz o projeto e manda pra cá”, afirmou. Para ele, o retorno das atividades econômicas em Manaus – debatido em Audiência Pública na última quarta-feira (10) – também pode ajudar a amenizar os prejuízos dos motoristas de aplicativo e mototaxistas.