Entre os parlamentares que votaram a favor da nova lei está o deputado federal do Amazonas, Delegado Pablo (PSL)

A Câmara dos Deputados aprovou ontem à noite o projeto conhecido como Nova Lei do Gás, que dá fim ao monopólio da Petrobrás na exploração e distribuição de gás no Brasil.

Por 351 a votos a 101, os deputados aprovaram a proposta que permite que empresas privadas atuem na extração, distribuição e comercialização de gás, gerando mais de 4,3 milhões de empregos no País nos próximos anos.

Entre os parlamentares que votaram a favor da nova lei está o deputado federal do Amazonas, Delegado Pablo (PSL). Ele explica que a quebra do monopólio é o desejo da população amazonense, que há anos espera pelos investimentos de empresas privadas no setor de gás natural.

“Temos vários municípios no Amazonas com reservas de gás e petróleo, porém a Petrobras já deixou claro que não tem interesse em explorar essas reservas”, explica Pablo. “Existem mais de 50 empresas nacionais internacionais interessadas em atuar no Amazonas. É uma grande oportunidade para desenvolver o interior do Estado”, acrescentou.

O Amazonas possui 16 blocos para extração de gás natural, segundo um estudo feito pela Petrobrás e pela Agência Nacional do Petróleo, Gás e Biocombustíveis (ANP). Estes blocos podem movimentar mais de R$ 50 bilhões no período de dez anos, segundo revelou um estudo da Fundação Getúlio Vargas.

A entrada de novas empresas no setor permitirá também maior concorrência, gerando a queda de preço do gás natural. Isso influenciará no barateamento das contas de energia elétrica no Estado, pois dezenas de usinas termelétricas usam gás para gerar eletricidade.

“Agora é a vez do gás! Tenho orgulho de ter votado pelo fim do monopólio da Petrobrás. Nosso Estado será um dos grandes beneficiados com a chegada de investimentos privados”, afirmou o deputado.