As deputadas estaduais Alessandra Campelo (MDB) e Joana Darc (PL) denunciaram hoje (09/12) um esquema criminoso de fabricação e distribuição de fakenews que está sendo investigado pela Polícia Civil do Amazonas.

Segundo as deputadas, que exibiram o resultado de um inquérito policial, foram criados vários grupos no aplicativo whatsapp onde eram divulgadas mensagens caluniosas e com ameaças de agressão às parlamentares.

Na tribuna da Assembleia Legislativa, Alessandra revelou que os vários grupos eram administrados por um número de telefone cujo CPF pertence ao deputado Wilker Barreto (Podemos).

“O deputado Wilker usa seu telefone para dizer que os deputados receberam propina. Pra dizer que os deputados receberam dinheiro para votar contra o impeachment do governo Wilson Lima”, afirmou Alessandra Campelo.

Ainda na tribuna da Aleam, a deputada ironizou que o nome usado pelo deputado Wilker Barreto nos grupos de whatsapp é Jully, o que gerou risadas entre os demais parlamentares.

Em outro grupo, segundo Alessandra, o nome falso usado por Wilker era ‘Pereco’, em referência ao nome do cachorro do ex-governador Amazonino Mendes. “Quando não é Jully, ele é o Pereco nos grupos do whataspp. Tá aqui no inquérito da polícia”, afirmou Alessandra.

A deputada cobrou um pedido de desculpas de Wilker Barreto por ter ofendido e inventado notícias falsas envolvendo os nomes de pelo menos outros 15 parlamentares.

Wilker não deu nenhum esclarecimento sobre as acusações, ao subir na tribuna apenas ironizou que a distribuição de cards por grupos de WhatsApp era uma prática comum.