Após reunião na Anvisa nesta quarta (30/12), farmacêutica decidiu reconsiderar decisão de não solicitar autorização de urgência para fórmula.

A farmacêutica Pfizer enviou comunicado à imprensa na tarde desta quarta-feira (30/12) afirmando que reconsiderou a decisão de não pedir o uso emergencial de sua fórmula contra a Covid-19 no Brasil.

O imunizante vem sendo aplicado em vários países, tendo sido o primeiro a obter este tipo de autorização no mundo junto à agência reguladora do Reino Unido. A mudança de postura aconteceu depois de uma reunião realizada com a equipe técnica da Agência Nacional de Vigilância Sanitária nesta quarta-feira.

Em comunicado divulgado na segunda (28/12), a Pfizer declarou que optaria por seguir apenas com o pedido de registro definitivo no país, processo que é mais demorado. Segundo a empresa “entraves burocráticos” nas regras da agência reguladora brasileira justificariam a decisão. O novo encontro aparou as arestas e foi classificado pela farmacêutica como “positivo”.

De acordo com a empresa, uma nova reunião será realizada para avaliar se o pedido emergencial será feito ou não.

Fonte: Metrópoles