Decisão foi tomada após editores da revista científica descobrirem que dois pesquisadores trabalhavam para a indústria do tabaco.

Um artigo científico que atribui 23% menos risco de pegar Covid-19 aos fumantes foi retirado de uma importante revista científica após a revelação de que alguns dos autores do trabalho teriam ligações financeiras com a indústria do tabaco. Os editores da publicação afirmaram que o artigo poderia “dar a falsa impressão de que fumar protege as pessoas da Covid-19″.

O artigo havia sido publicado na edição de julho de 2020 na revista científica European Respiratory Journal e afirmava que “o tabagismo não estava associado a resultados adversos em pacientes internados com Covid”. O trabalho alegava, ainda, “que os fumantes tinham um risco significativamente menor de adquirir o coronavírus”.

A última edição do European Respiratory Journal incluiu um aviso de retratação sobre o artigo em questão, declarando que “foi levado ao conhecimento dos editores que dois dos autores não divulgaram potenciais conflitos de interesse no momento da submissão do manuscrito.”

De acordo com os editores da revista científica, um dos autores, José M. Mier, tinha um “papel atual e permanente na prestação de consultoria à indústria do tabaco sobre redução de danos do tabaco”. Na época da publicação, outro pesquisador, Konstantinos Poulas, era o principal investigador da ONG grega NOSMOKE, um centro de ciência e inovação que recebeu financiamento da Foundation for a Smoke Free World (“Fundação para um mundo sem fumo”, em português), uma organização financiada pela indústria do tabaco.

A NOSMOKE, com sede na Grécia, desenvolve produtos para vaporização e promove pesquisas pró-cigarro eletrônico. No artigo, Mier, Poulas e seus co-autores escreveram “nenhum” em “conflitos de interesse”.

Os autores do artigo não concordaram com a decisão, de acordo com o aviso de retratação feito pelos editores. Embora a omissão de um potencial conflito de interesses não seja, normalmente, um motivo suficiente para retratação, os editores consideraram que, tendo em consideração o objeto da pesquisa, a relação entre os autores e a indústria do tabaco deveria ter sido mencionada.

No texto, os editores reconhecem que, em nenhum momento, houve dúvidas sobre possíveis más condutas científicas por parte de qualquer um dos autores, além da omissão dos conflitos de interesse relacionados à indústria do tabaco.

Em entrevista ao site Retraction Watch, o autor sênior do artigo, Konstantinos Farsalinos, afirmou que os conflitos de interesse “eram irrelevantes para os objetivos e metas principais do estudo”.

“Além disso, propus lançar publicamente o conjunto de dados completo e o script estatístico para que todas as descobertas pudessem ser verificadas de forma independente”, completou Farsalinos. “Os editores recusaram. Solicitei que minha proposta fosse mencionada na carta de retratação, mas ela também foi rejeitada pelos editores. Discordo da retratação e considero injusta e infundada”.

A relação entre o tabagismo e o risco aumentado de desenvolver quadros graves de coronavírus é tema de diversas pesquisas científicas. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), já se sabe que a Covid-19 é uma doença infecciosa que ataca principalmente os pulmões. Como fumar prejudica a função pulmonar, o ato consequentemente eleva o risco de sintomas graves de infecções respiratórias, incluindo coronavírus, entre fumantes.

Fonte: Metrópoles