O Brasil recebe na quinta-feira (24) mais um lote com matéria prima para produção de 5,5 milhões de vacinas contra o coronavírus, a CoronaVac. O material será recebido pelo Instituto Butantã, onde estão sendo envasadas as primeiras doses do imunizante produzido no Brasil.

A previsão do governo do São Paulo, que coordena o Instituto Butantã, é que o Brasil tenha disponíveis 10,8 milhões de doses da vacina até 31 de dezembro.

A CoronaVac está sendo produzida no País em parceria com o laboratório Sinovac, da China.

Ontem, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) emitiu o certificado de boas práticas de produção para a fábrica da vacina Coronavac, na China. Esse é mais um passo para aprovar o imunizante no Brasil.

A Anvisa aguarda para os próximos dias a solicitação do uso emergencial da vacina.

O governo de São Paulo ratificou que começará a imunização no Estado no dia 25 de janeiro.

O jornal norte-americano Wall Street Journal afirmou ontem que a CoronaVac demonstrou ter eficácia no teste de fase 3, realizado no Brasil.

O Brasil foi o primeiro país a encerrar a fase final do ensaio clínico do imunizante. Depois de adiar por duas vezes o anúncio do resultado da eficácia da vacina, o Butantan prometeu mostrar o grau de eficácia nesta quarta-feira (23). Ainda dará entrada com pedido de registro da CoronaVac simultaneamente no Brasil e na China.