Embora o Instituto Butantan não tenha confirmado a eficácia da vacina Coronavac para combater a variante P.1 do coronavírus, a agência de notícia Reuters divulgou na noite de segunda-feira (08-mar) que a Coronac se mostrou eficaz contra a variante da doença.

A reportagem da Reuters disse que teve acesso a dados preliminares do Instituto Butantan, que desde o final de janeiro está avaliando se o imunizante é eficaz contra a variante P.1, encontrada inicialmente em Manaus.

Segundo a Reuters, o estudo foi feito por meio do exame de amostras de sangue retiradas de pessoas vacinadas com a Coronavac e testadas contra a variante conhecida como P1. Os dados preliminares indicam que o imunizante foi eficaz contra a cepa.

O resultado oficial dos estudos deve ser divulgado na próxima semana. O Instituto Butantan, que tem parceria com a fábrica chinesa de vacinas Sinovac, confirmou em fevereiro que o resultado do estudo seria divulgado no início de março.

Há uma grande expectativa dos órgãos de saúde e da população brasileiro sobre a eficácia da Coronavac contra a variante P.1. A expectativa deve-se ao fato da Coronavac ser a vacina mais distribuída e aplicada em todos os Estados do País.

Caso a Coronavac não apresente resultados satisfatórios contra a variante do coronavírus, as pessoas imunizadas até agora não teriam proteção adequada contra a doença.

Seria necessário que o Instituto Butantan, junto com o laboratório Sinovac, fizessem alterações na vacina para torná-la eficaz contra a nova cepa. Essas alterações podem demorar até três meses e atrasar ainda mais a campanha de vacinação no País.