Prefeitura do Rio de Janeiro instalou 10 pontos de show de fogos de artifícios por toda a cidade para descentralizar a população e evitar aglomerações na virada do ano.

Os últimos ajustes para o Réveillon de Copacabana, o mais famoso do Rio de Janeiro e do Brasil, estão sendo finalizados nesta sexta-feira, 31. A comemoração será diferente neste ano, com apenas dois a três milhões de pessoas, como já havia sido na virada de 2020 para 2021. Os hotéis estão tão lotados, com taxa de ocupação de quase 100% na capital fluminense. A estrutura para acompanhar a queima de fogos já está montada, latas de lixo, banheiros químicos, torres com caixas de som que vão dar uma espécie de trilha sonora do show pirotécnico também, tudo já está espalhado pela orla de Copacabana. Serão 16 minutos de show pirotécnico, mais de 15 toneladas de fogos de artifício que serão lançados de balsas ancoradas no mar. O teste dos fogos já foi feito e está quase tudo pronto.

Medidas preventivas, sanitárias, para desincentivar a ida de pessoas para Copacabana foram adotadas pela prefeitura. Não é possível mais estacionar o carro na orla e não haverá esquema especial de metrô e de ônibus no Rio de Janeiro. Haverá bloqueios no acesso a Copacabana para quem não for morador a partir das 19 horas desta sexta-feira. A cidade contará com dez pontos de queima de fogos. Copacabana e outras nove localidades, na Zona Norte, Zona Oeste e também no subúrbio para tentar evitar aglomeração e concentração de pessoas. A perspectiva de chuva forte nas próximas horas, inclusive virada do ano, pode afugentar as pessoas. A preocupação com a pandemia da Covid-19 aumentou. O número de casos suspeitos de Ômicron na capital subiram, já são 94. No início da semana eram 46. Mais testes para a Covid-19 também estão dando positivo. 5,5% dos testes dão positivo agora contra 0,7% recentemente. Mais de 88% da população total já recebeu a primeira dose da vacina, mais de 80% recebeu as duas doses e mais de 20% recebeu a dose de reforço.

“Dia 31 de dezembro, a partir das 15 horas, não poderão acessar mais a Avenida Atlântica Copacabana e Leme os automotores, salvo aqueles que tenham moradores com comprovante de residência e pessoas com reservas para os hotéis. A gente lembra também que desde às 18 horas do dia 30 está proibido o estacionamento ao longo da Avenida Atlântica, em Copacabana e no Leme. Então a gente pede a colaboração das pessoas para que não estacionem nesse local. Os quiosques e os ambulantes que têm ponto fixo nas areias podem trabalhar normalmente, podem funcionar. No entanto, a Secretaria de Ordem Pública já está fiscalizando e não tolerará o loteamento das areias, o gradeamento das estruturas dos quiosques, justamente para que o espaço público seja preservado. A gente lembra que o abastecimento desses barraqueiros que têm ponto fixo também só poderá acontecer até as 15 horas do dia 31 e lembramos também que nós estamos com os bloqueios em alguns pontos da cidade para prevenir a entrada de veículos fretados, que não estão autorizados a ingressarem até o dia 1º. A gente lembra que a Guarda Municipal e a Secretaria de Ordem Pública contam com aproximadamente 2.500 agentes entre o dia 31 e o dia 2 de janeiro para essas ações de ordenamento, de segurança nas praias, nos pontos turísticos e nos demais pontos de queima de fogos, que esse ano serão ao longo de toda a cidade do Rio de Janeiro”, explica o secretário municipal de Ordem Pública do Rio de Janeiro, Breno Carnevale.

Fonte: JP Notícias