O movimento criado no mês da mulher defende que a palavra não faz referência apenas ao eletrodoméstico que armazena cervejas.

Você sabe o que é uma cervejeira? Uma geladeira para armazenar cervejas pode ter passado pela sua cabeça. Mas não é bem isso. E foi para mudar a ideia machista de que cervejeira é um eletrodoméstico, que a Ambev lançou a campanha #CervejeiraSouEu no mês da mulher. A ação propõe o uso correto da palavra “cervejeira”. Dessa forma, ela passaria a ser apenas uma referência a quem trabalha na produção de cervejas.

“Nossas vozes, juntas, têm força para promover mudanças estruturais. É importante garantir que cada vez mais pessoas conheçam e entendam a importância do trabalho desempenhado pelas cervejeiras. E, assim, garantir que todas sejam reconhecidas e respeitadas como merecem”, reforça Laura Aguiar, mestre-cervejeira e head de conhecimento e cultura cervejeira da Ambev.

Segundo Laura, hoje, a metade do quadro de especialistas em processos de produção da empresa é formado por mestres-cervejeiras. Porém essa igualdade ainda não faz parte do mercado. Ela explica que querem que “o mercado como um todo encare a equidade de gênero também como uma prioridade. Por isso, esse movimento surge como o despertar”.

Ações diretas

Um dos objetivos da campanha é questionar o machismo enraizado na sociedade e mudar a forma como as profissionais são reconhecidas. Assim, a #CervejeiraSouEu deve incentivar mudanças diretas dentro do mercado de cervejas. O Empório da Cerveja, plataforma de e-commerce da Ambev, entrou no clima de mudança e alterou o nome do eletrodoméstico para geladeira para cerveja.

À frente do Empório da Cerveja, Fabio Glezer, aponta que é muito bom ver esse movimento para ressignificar o termo. “A palavra cervejeira não pode ser ligada a um eletrodoméstico, quando ela é a profissão desempenhada por tantas mulheres Brasil afora”, enfatiza.

Hashtag, cervejeira sou eu

A campanha criada pela Ambev começou no Twitter com pedidos pelo uso correto do termo cervejeira feitos por cervejeiras da marca e do mercado. Agora, o movimento se espalha pelas redes sociais e conversa também com quem apenas aprecia a bebida.

“#CervejeiraSouEu e várias outras mulheres. Nada disso de buscar cervejeira no Google e aparecer um eletrodoméstico, cervejeira somos nós!”, escreveu uma usuária do Twitter.

Fonte: Metrópoles