Pacientes vem apresentando sinais diferentes da doença, como nariz escorrendo, dor de garganta e dor muscular.

Pesquisadores da University College London, do Reino Unido, estão pedindo a adição de mais três sintomas na lista dos sinais de atenção para uma possível infecção pelo coronavírus. Com o avanço da variante Delta, os cientistas alertam para uma mudança na manifestação da doença.

Agora, nariz escorrendo, dor de garganta e dor muscular têm aparecido com maior frequência entre os infectados. Além da presença da variante, a mudança dos sintomas pode ser explicada pela transformação no perfil do paciente: com a população idosa imunizada, os casos agora são mais comuns entre jovens, crianças e pessoas que tomaram apenas uma dose da vacina.

“Os pacientes que estão sendo infectados agora geralmente apresentam sintomas leves, que aparecem de dois a três dias antes dos sinais originais“, alerta Alex Crozier, pesquisador da universidade, em entrevista ao jornal britânico The Sun.

Com a mudança no perfil, seria mais fácil encontrar os casos e isolar os pacientes antes que possam contaminar outras pessoas.

Uma pesquisa publicada nessa quinta (1°/7) pelo Escritório de Estatísticas Nacional do Reino Unido mostra que os sintomas mais comuns apresentados no país em junho são tosse, dor de cabeça, fraqueza e febre. Dor de garganta e dor muscular, que não estão presentes na lista oficial de sintomas, aparecem com mais frequência do que a perda de olfato e paladar, que já foi o sinal mais comum da infecção.

Fonte: Metrópoles