Depois de quase dois anos com restrições ao turismo, ecoturismo e viagens de experiência serão a prioridade dos brasileiros no ano que vem.

Como diz a máxima popular, há quem só perceba o valor de algo, quando o perde. Durante a pandemia, você provavelmente sentiu falta de desembarcar em um destino pela primeira vez, e até de uma fila do check-in, do toque de ansiedade ao passar pelo raio-x e do costume de checar mais de uma vez se os documentos e o cartão de embarque estão na bolsa.

Essa é uma das principais tendências de viagem de 2022: aproveitar cada oportunidade como se fosse a última — e fazer com que todo roteiro seja realmente significativo. Com uma gradual perspectiva de melhora no próximo ano, as pessoas vão aproveitar ao máximo todas as férias, recessos e feriados perdidos.

“De modo geral, o tempo que estamos em casa aumentou nosso desejo de viajar. As pessoas vão querer experimentar o mundo novamente, talvez de forma mais significativa do que nunca”, comenta Luiz Cegato, gerente de comunicação da Booking.com.

Além disso, mais do que fazer exercícios diários ou meditar, sair de férias se tornará a grande prática de autocuidado em 2022. É o que aponta a pesquisa da plataforma sobre as tendências de viagem para o próximo ano.
Entre os quase 25 mil brasileiros consultados, 83% acreditam que viajar promove uma melhora do bem-estar mental maior do que outras formas de descanso e relaxamento. O estudo da empresa mostrou, ainda, que sete em cada 10 viajantes brasileiros afirmam já ter planos para viagens futuras, e 67% dizem que esses trajetos devem ocorrer nos próximos três a seis meses.

De olho no que vai bombar no ano que vem, o Metrópoles consultou especialistas em viagem para adiantar as tendências que prometem ditar os roteiros em 2022: desde as preferências dos viajantes, formatos de roteiros até destinos mais badalados. Veja só:

Como se fosse a primeira vez

A retomada das viagens após um período de interrupção virá com um sentimento autêntico mesmo para os aspectos mais simples das viagens. Depois de tanto tempo sem férias, os viajantes vão aproveitar cada momento da jornada, desde a escolha da playlist para ouvir em um carro alugado até o passeio nas lojas duty free.

A retomada das viagens após um período de interrupção virá com um sentimento autêntico mesmo para os aspectos mais simples das viagens. Depois de tanto tempo sem férias, os viajantes vão aproveitar cada momento da jornada, desde a escolha da playlist para ouvir em um carro alugado até o passeio nas lojas duty free.

Para a maioria dos turistas do país, prazeres simples, como sentir o sol na pele ou ver rios e mares, tem o efeito instantâneo de mudar o humor para melhor. Mesmo a incerteza de usar o transporte público em uma nova cidade com uma língua estrangeira é algo que dois terços dos brasileiros afirmam que vão apreciar, de acordo com a pesquisa.

Um levantamento realizado pelo Airbnb também ressalta que as reservas no país no segundo trimestre de 2021 já ultrapassaram os níveis pré-pandemia. A expectativa é que esse número seja ainda mais significativo no próximo ano.
“Mas, essa reconexão com o turismo está sendo planejada em novos comportamentos e prioridades que surgiram a partir da pandemia, e que vieram para ficar”, aponta a plataforma.

Novas prioridades

Entre a lista de prioridades dos viajantes ao alugar uma hospedagem via Airbnb, estão: wi-fi de qualidade; cozinha equipada; acomodação pet friendly; estacionamento gratuito e ar-condicionado. A lista de exigências, no entanto, vai ao encontro de um perfil de viajantes mais flexíveis.

Um itinerário bem planejado e cheio de atividades deve perder a majestade para roteiros sem amarras, de acordo com o humor do dia. A tendência é que o ano que vem traga viagens mais improvisadas, com abertura para as surpresas que se apresentem pelo caminho.

Vivenciar o destino

Na visão de Christian Soliva, coordenador de negociações e produtos da Bancorbrás Turismo, os turistas estão batendo à porta das agências de viagem com um desejo em comum: roteiros de experiência.

“Eles querem não apenas conhecer o destino, mas vivenciá-lo. No itinerário, há a preferência por locais em que você consegue conviver com os moradores e viver a rotina do lugar. São coisas que você, normalmente, só consegue em destinos menores”, observa.

Para fugir das grandes aglomerações, não é de se admirar que os lugares fora da rota tradicional de turismo sejam a nova prioridade. Como exemplo, o especialista cita quem substitui Lisboa, capital de Portugal, por um roteiro pela região norte ou sul do país.
“Também observamos uma preferência pelo ecoturismo e opções mais imersas na natureza, em detrimento dos centros urbanos”, adiciona.

Brasil (e arredores) em evidência

Em 2021, a aposta para a retomada do turismo brasileiro foi investir em destinos nacionais. A tendência deve permanecer no ano que vem quando, inclusive por conta das finanças pessoais, cruzar oceanos ainda é inseguro.

Com o abre e fecha de fronteiras, novas cepas, particularidades sobre vacinação e outras exigências de cada país, a alternativa mais efetiva é permanecer dentro do território brasileiro.
Para quem não vê a hora de falar outra língua, os cenários das Américas, do Sul e Central, são uma boa pedida. Entre os favoritos estão: México, Costa Rica, Uruguai e República Dominicana. Confira nesta matéria as regras para entrada vigentes nos países.

Trabalho tem hora, folga também

Se, antes do home office, havia quem tolerasse receber uma mensagem de trabalho em plena mesa de praia, no ano que vem, a mensagem nem chegará ao destinatário. A expectativa é um aumento significativo de pessoas que querem restabelecer um equilíbrio saudável entre a vida pessoal e a profissional.
Nesse sentido, o estudo revela que três quartos dos viajantes do país têm o desejo de que suas férias no ano que vem sejam livres de qualquer interferência do trabalho, o que nem sempre foi o caso em 2021.

Foco em sustentabilidade (ambiental, social e econômica)

O que se averiguou, como resultado da pandemia, “foi um aumento da compreensão das pessoas sobre os impactos que nossas ações podem provocar no meio ambiente e nas comunidades locais”, destaca Cegato.
A crise global se mostrou um fator determinante para que os viajantes se comprometessem com a sustentabilidade na hora de escolher os itinerários. De acordo com levantamento da empresa, 71% dos brasileiros querem viajar de forma mais sustentável no futuro, com uma conscientização ainda maior esperada a partir de 2022. Nesta matéria, você confere dicas para ter viagens incríveis sem destruir a natureza (e seu bolso).

Fonte: Metrópoles