Especialistas indicam maneiras de estimular a produção de colágeno e manter a pele jovem sem deixá-la vermelha, descascando ou irritada.

Os ácidos e lasers ablativos estão entre os principais tratamentos realizados para estimular a produção de colágeno e, assim, rejuvenescer a pele. Contudo, eles frequentemente deixam a pele vermelha, descamando ou irritada.
De fato, esses procedimentos são altamente eficientes na produção de colágeno, mas novas tecnologias cosméticas têm surgido revelando alternativas menos agressivas e igualmente eficazes. Isso porque a ação ocorre nas camadas mais baixas da pele, onde realmente o estímulo de colágeno precisa acontecer.

Especialistas elencam as 7 melhores maneiras de rejuvenescer a pele de forma menos agressiva. Confira!

Resveratrol nos cosméticos noturnos

“O resveratrol é capaz de ativar a sirtuína-1, proteína que age no aumento da longevidade celular”, explica a cirurgiã plástica Dra. Beatriz Lassance. De acordo com a especialista, o ativo impede os danos causados pelos radicais livres, aumenta a quantidade de fibras de colágeno e elastina e melhora a densidade e integridade da pele.

Vitamina C tópica diariamente

Como explica a Dra. Beatriz, a vitamina C é um antioxidante eficiente no combate aos radicais livres prejudiciais (toxinas que entram em contato com a pele). “Os radicais livres podem causar danos à pele, como destruição do colágeno, e a aplicação de vitamina C tópica pode combatê-los e melhorar sua aparência geral”, complementa.
A vitamina C também trata rugas finas e grossas do rosto e pescoço, bem como melhora a textura da pele. “Isso acontece porque a Vitamina C é cofator para a produção de colágeno. Então ela ajuda a estimular a síntese dessa proteína que dá sustentação à pele”, completa a médica.

Upgrade com peptídeos

Os peptídeos são uma cadeia curta de aminoácidos que servem como blocos de construção das proteínas. Eles têm várias ações no organismo. “Ele é capaz de atuar justamente sobre os telômeros, que são a chave do envelhecimento, para protegê-los e reverter os danos ao DNA, assim prolongando a longevidade celular, restaurando os níveis de colágeno e desacelerando o processo de envelhecimento, o que resulta na melhora dos sinais da idade, como rugas, manchas e flacidez, e recuperação da firmeza, luminosidade e contorno facial, com efeito tensor, lifting e antigravidade”, destaca Ludmila Bonelli, especialista em dermatocosmética.

Bioestimuladores

Os bioestimuladores são vantajosos pois podem ser aplicados diretamente no alvo desejado. “Os bioestimuladores de colágeno injetáveis (ácido-L-poli-láctico e hidroxiapatita de cálcio) podem ser realizados até mesmo antes de liftings. Eles ajudam a aumentar a quantidade de colágeno na pele e aumentar a espessura da derme. Com isso, temos uma pele mais firme e mais espessa”, explica a dermatologista Dra. Paola Pomerantzeff.

Lasers poderosos

Os lasers geram comprimento de onda de luz que é absorvido por um alvo específico na pele. Determinados comprimentos de onda têm como alvo a cor vermelha das cicatrizes de acne e vasos sanguíneos, enquanto outros agem na melanina para eliminar manchas escuras. Há também comprimentos responsáveis por eliminar pelos indesejáveis.

Para minimizar as rugas, alguns lasers são absorvidos pela água, estimulam produção de novo colágeno e deixam linhas finas muito menos visíveis. “Já lasers não ablativos têm como alvo tecidos mais profundos e não ferem a camada superficial. Os tratamentos dos lasers ablativos, por definição, levam mais tempo para cicatrizar (três a dez dias) do que os não ablativos, que levam de horas a poucos dias”, afirma o dermatologista Dr. Abdo Salomão Jr.

Ultrassom microfocado

Outra tecnologia associada ao estímulo de colágeno é o ultrassom microfocado, que promove mais firmeza para a pele. “A tecnologia de ultrassom microfocado emite energia mecânica através das ondas de ultrassom, que fazem micropontos de coagulação sob a pele para tonificar o tecido cutâneo, estimular a produção de colágeno e conferir efeito lifting, o que dá fim à flacidez presente na área tratada”, explica a cirurgiã plástica Dra. Beatriz Lassance.

De acordo com a especialista, os transdutores emitem ondas de ultrassom que penetram profundamente no tecido, permitindo assim o tratamento de diversas camadas da pele. “O procedimento é extremamente seguro, pode ser realizado em todos os tipos de pele e é bem tolerado pela maior parte dos pacientes, pois apresenta nível de dor de baixo a moderado, além de ser realizado sob o efeito de anestésico tópico”, explica.
Ainda segundo a médica, as sessões são rápidas, com o tempo de duração variando de acordo com o local de aplicação e a quantidade de áreas tratadas. No geral, cada sessão facial dura entre 15 e 40 minutos. “Já é possível ver melhora significativa após a primeira sessão e os resultados continuam a aparecer durante os três meses seguintes”, afirma a Dra. Beatriz.

Suplementação

Por fim, é fundamental lembrar que uma boa alimentação faz diferença para manter os resultados. Nesse sentido, a suplementação também vale a pena. Segundo a nutricionista Luisa Wolpe Simas, a suplementação com Exsynutriment também é interessante para estimular colágeno até mesmo para potencializar o resultado de tratamentos médicos: “O silício estabilizado em colágeno marinho estimula a produção de colágeno, elastina e ácido hialurônico que confere melhora do tônus da pele e diminuição da flacidez”, afirma a nutricionista.

 

 

 

Fonte: Saúde em dia