Pesquisadores criam tabela para classificar situações sociais comuns em relação às chances de pegar Covid-19

Depois de quase oito meses de isolamento social, evitando sair de casa sempre que possível e cumprindo rígidos protocolos de higiene, as pessoas tentam criar estratégias para retomar a vida

No contexto da pandemia Covid-19, não existem eventos com certificados de livre do coronavírus. No entanto, um artigo publicado no The British Medical Journal pode ajudar a fazer avaliações de riscos sobre situações sociais comuns.

Os autores são pesquisadores da Universidade de Oxford, no Reino Unido, e do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT) dos Estados Unidos. Eles sugerem que, além do distanciamento social, as pessoas estejam atentas à ventilação do espaço , ao tempo de duração dos encontros, à quantidade de pessoas envolvidas, ao tipo de atividade desempenhada e ao uso ou não de máscaras – principal item de proteção pessoal.

É certo que ambientes fechados e com pouca ventilação são mais perigosos. E também que quanto mais gente presente, maior é o risco de infecção. A atividade desempenhada é outra variável importante, se as pessoas estiverem gritando é mais difícil garantir que uma gotícula contaminada não alcançará você.

Fonte : Metrópoles

“ O risco de infecção é determinado por muitos fatores, e todos eles estão conectados”, afirmou à BBC, Lydia Bourouiba, diretora do Laboratório de dinâmica de fluidos na transmissão de doenças do MIT e uma das autoras do estudo. “Ainda não há nenhum estudo que determine o risco absoluto de cada atividade, mas, com essa tabela, queremos que as pessoas saibam avaliar o risco relativo de cada situação. Assim elas podem se adaptar.”

Outro ponto importante destacado pelos especialistas é estar atento que todas as atividades, mesmo as de risco baixo, exigem comportamentos de segurança. Anote o que é necessário fazer:

Risco baixo – Tente manter ao menos dois metros de distância de outras pessoas e use máscara.

Risco moderado – Se possível, mantenha mais do que os dois metros de distância, a depender dos outros fatores presentes na situação.

Risco alto – Dois metros deve ser a distância mínima, mas o ideal é ficar ainda mais afastado do que isso, e usando uma máscara de qualidade.