Presidente do Sindicato dos Rodoviários diz que houve acordo entre a categoria e os empresários que deve efetuar os pagamentos em atrasos.

Por conta do atraso de pagamentos, a categoria de rodoviários de Manaus decidiu paralisar, nesta segunda-feira (21), 30% da frota do transporte público coletivo. A manifestação, segundo a categoria, foi uma maneira de chamar atenção das empresas para efetuarem os pagamentos atrasados.

De acordo com o Sindicato dos Rodoviários de Manaus, a paralisação teve início por volta das 5h. Os motoristas e cobradores que aderiram a paralisação somente voltaram às ruas por volta das 7h30, após um acordo entre as empresas e a categoria.

“A cobrança da categoria é a segunda parcela do 13° salário e adiantamento salarial. Após esse ato, tivemos posicionamento de algumas empresas que informaram pagar o vale na data de hoje, e na quarta-feira, a segunda parcela do 13°”, informou Josenildo Mossoró, presidente em exercício do Sindicato dos trabalhadores Rodoviários de Manaus.

Mossoró disse que os trabalhadores estão em alerta e , caso não haja pagamento, a categoria irá paralisar os trabalhos novamente.

O motorista de ônibus Isaac Gomes, de 40 anos, trabalha há 20 anos nessa profissão. Ele depende do salário para sustentar a família.

“Como todo trabalhador, necessitamos do nosso salário. Então, a gente trabalha para pagar dívida, pagar aluguel e, quando atrasa nosso salário, somos cobrados. E fica esse impasse entre a Prefeitura e os empresários e a população é afetada. Não estamos negando trabalho, mas queremos receber o que fazemos para a empresa”, disse.

A conferente Marília de Souza, de 25 anos, esperou um pouco mais o ônibus que usa para ir ao trabalho. “É lamentável, mas entendo a paralisação pois estão cobrando um direito que é deles”, contou.

Em nota, a Prefeitura de Manaus informou que tem mantido o diálogo com ambas as categorias, patronal e de trabalhadores, a fim de intermediar um acordo entre as partes, uma vez que se trata de uma questão trabalhista.

“O município reforça que mantém subsídio ao sistema, pago mensalmente em duas parcelas, inclusive com uma sendo paga na manhã desta segunda-feira (21). Neste momento, o transporte coletivo de Manaus circula normalmente, sem qualquer alteração”, diz trecho da nota.

Já o Sinetram informou que tomou todas as providências jurídicas cabíveis para evitar uma greve nesta segunda-feira (21), em Manaus, sendo sido atendido pelo Tribunal Regional do Trabalho no sentido de se manter o mínimo de 70% das operações conforme liminar expedida no dia 16 de dezembro.

Destacou, ainda, a disposição do sindicato das empresas em manter permanente diálogo com o Sindicato dos Rodoviários.

Fonte: G 1 Am