A obesidade pode pode causar ou agravar uma série de doenças, como diabetes, hipertensão, dores ortopédicas e até depressão.

Com excesso de peso desde os cinco anos de idade, Luiz Henrique Romagnoli, aprendeu desde cedo que a obesidade é uma doença. Aos 63 anos, o jornalista está, atualmente, com 130 quilos, mas durante a vida transitou entre os graus um, dois e três de obesidade, chegando a pesar quase 190 quilos. “O meu gatilho de obesidade foi uma cirurgia, uma operação de garganta. Na época, tinha extração de amídala e isso é um dos possíveis gatilhos para aumento de peso”, conta. O problema de Luiz é, também, o de muitos brasileiros. De acordo com a última Pesquisa Nacional de Saúde, realizada em 2019, 60,3% dos adultos do país estão com excesso de peso e 25,9% têm diagnóstico de obesidade. Em crianças e adolescentes, os números também crescem e, atualmente, 19,4% daqueles entre 15 e 17 anos estão acima do peso e 6,9% têm obesidade.

A psicóloga especialista em obesidade, Andrea Levy, explica que são várias as causas que levam uma pessoa a desenvolver a doença. “Obesidade Não tem nada a ver com falta de controle, falta de caráter, preguiça ou todas essas coisas preconceituosas que são associadas à doença obesidade. Ela precisa de uma predisposição do nosso corpo para desenvolver, um desbalanço entre o que a gente ingere e a gente gasta, muitas vezes tem outros fatores como o sedentarismo, medicações, estresse, o sono. Todas essas coisas podem contribuir para o desenvolvimento da obesidade”, explica. A especialista explica que é preciso ficar atento já ao sobrepeso ou início da obesidade: assim como em outras doenças, quanto mais precocemente o problema for diagnosticado, melhor. A obesidade também pode causar ou agravar uma série de outras doenças, como diabetes, hipertensão, dores ortopédicas e até depressão. Também é importante tomar cuidados extras com a Covid-19: a infecção pode afetar mais fortemente quem está acima do peso.

Fonte: JP Noticias