O apresentador da Rede Globo, Luciano Huck, usou as redes sociais para convocar um panelaço contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nesta sexta-feira, 15, às 20h30.

A imagem postada por Huck diz: “Sem oxigênio, sem vacina, sem governo” e ainda afirma que o Brasil está sufocado, fazendo referência à situação de Manaus.

A postagem gerou reações bem distintas entre os internautas. Alguns criticaram Huck acusando de o global de ter votado em Bolsonaro nas eleições presidenciais em 2018. Outros parabenizaram o apresentador pela postura de cobrança ao governo federal.

O global é um dos cotados para disputar a Presidência da República nas próximas eleições, marcadas para outubro de 2022.

Desde a tarde desta quinta-feira (14), o colapso vivido pelo sistema de Saúde do Amazonas tem causado uma comoção nas redes sociais. Diversas figuras públicas tem cobrado o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) por ações mais contundentes para contornar a situação no estado, que sofre com falta de cilindros de oxigênio para tratar pacientes com Covid-19.

Mourão defende governo

O vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que o governo federal está fazendo um trabalho que vai além de suas capacidades no socorro ao sistema de saúde de Manaus, que está sobrecarregado em razão do aumento expressivo dos casos de covid-19.

“O governo está fazendo além do que pode dentro dos meios que a gente dispõe. Agora, eu já falei aqui para vocês várias vezes a respeito de Amazônia. Na Amazônia as coisas não são simples”, disse.

Na avaliação dele, o problema não foi de falta de planejamento logístico. O vice-presidente declarou que não era possível prever o colapso no sistema de saúde em Manaus, que estaria associado à aparição de uma nova cepa do coronavírus.

Autoridades temem que com a transferência de pacientes de Manaus para outros estados a nova cepa do coronavírus se espalhe com velocidade para outras regiões. Na manhã desta sexta, a Força Aérea Brasileira (FAB) iniciou os primeiros embarques de pacientes com covid-19 que precisaram ser retirados de Manaus devido ao cenário de colapso vivido pela capital amazonense.

Fonte: Yahoo Noticias