O Hospital e Pronto-Socorro (HPS) 28 de Agosto, na zona centro-sul de Manaus, comemorou essa semana mais um avanço no Plano de Reorganização da unidade, desenvolvido pelo Governo do Estado, por meio do Programa Saúde Amazonas. Pela primeira vez, em muitos anos, a Clínica Cirúrgica de Observação (CCO) registrou lotação abaixo de sua capacidade de rotina e operou sem os chamados leitos extras.

O espaço tinha na última quarta-feira (09/12) 32 pacientes, quando no Plano de Capacidade Plena (PCP) pode comportar 33. Desenvolvido pela estratégia Lean nas Emergências, projeto do Ministério da Saúde desenvolvido pelo Hospital Sírio-Libanês para reduzir a superlotação em hospitais, o PCP está organizando os fluxos de pacientes no HPS 28 de Agosto.

“O governador Wilson Lima quer o fim da superlotação nos prontos-socorros, e estamos trabalhando isso com o apoio do Ministério da Saúde e do Hospital Sírio-Libanês. O trabalho é permanente, e nossas equipes estão empenhadas nesse propósito”, disse o secretário de Saúde, Marcellus Campêlo.

O resultado da CCO foi comemorado pela direção e pelas equipes médicas e de enfermagem no momento em que a sinalização especial atingiu a cor verde, indicando que o local estava sem leito extra, operando no nível de rotina estabelecido no PCP.

“Quando o número de pacientes supera a capacidade, somos obrigados a criar os leitos extras nas macas. Ontem foi a primeira vez, desde a implantação do Lean, que operamos sem leito extra na CCO, e vamos trabalhar para manter assim”, explica a diretora da Unidade Júlia Marques.

Segundo ela, há muito tempo a CCO não operava dentro do nível de rotina. Ao longo dos anos, a CCO tem sido um dos pontos de atenção do HPS 28 de Agosto.

É nesse espaço que pacientes que deram entrada na emergência ficam em observação médica, enquanto aguardam subida para um leito de internação, remoção para o centro cirúrgico, para outra unidade de referência ou para alta.

O Lean nas Emergências atua na organização do atendimento de modo que a situação do paciente seja resolvida no menor espaço de tempo, ajudando na rotatividade dos leitos e na redução da lotação.

FOTOS: Divulgação/ SES-AM