Ministro da Casa Civil afirmou que abertura da investigação é tentativa de atacar Bolsonaro em ano eleitoral.

O ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira (PP-PI), afirmou na sexta-feira, 8, que foi um “sinal de desespero” o pedido de abertura de uma CPI para investigar irregularidades no Ministério da Educação. “O pedido da CPI, apenas com disse-me-disse sem provas, só tem um fato determinado: a tentativa do coordenador da campanha de Lula de atacar o presidente Bolsonaro, em ano eleitoral. Só resta a eles o vale tudo. Sinal de desespero”, escreveu no Twitter. O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que deve ser coordenador da campanha do ex-presidente Lula, afirmou já ter conseguido o número de assinaturas necessário para pedir a abertura da CPI. A inclusão do senador Veneziano Vital (MDB-PB) foi a vigésima sétima assinatura e, com isso, a solicitação atingiu o mínimo constitucional para que o processo corra no Senado. “Agora, durante o final de semana e o início da próxima, conseguimos vigilantes para que não ocorra a retirada de assinaturas e, dois, para ampliarmos o número de assinaturas exigidas. Isso porque já sentimos aqui o desespero emanado pelo Palácio do Planalto, sobretudo da Casa Civil para, em uma operação desesperada, retirar assinaturas”, disse Randolfe em vídeo.

https://twitter.com/ciro_nogueira?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1512551546285875206%7Ctwgr%5E%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fjovempan.com.br%2Fnoticias

Fonte: JP Notícias