Pesquisa de Cambridge mostra que não há verdade na máxima de que beber cerveja antes do vinho evita a ressaca.

A máxima “cerveja antes do vinho e você vai se sentir bem, mas o vinho antes da cerveja e você vai se sentir estranho” é um conselho que tem sido seguido por gerações de bebedores ansiosos para evitar uma ressaca furiosa.

No entanto, um novo estudo da Universidade de Cambridge, no Reino Unido, e de cientistas alemães sugere que a ordem de beber faz pouco para afastar a náusea e a cabeça latejante.

Pesquisadores pediram aos voluntários que bebessem dois litros e meio de cerveja, seguidos de quatro copos grandes de vinho, enquanto um segundo grupo consumia a mesma quantidade de álcool em ordem inversa.

No dia seguinte, eles foram solicitados a avaliar sua ressaca em um escore de 0 a 56, que mede sede, fadiga, dor de cabeça, tontura, náusea, dor de estômago, aumento da freqüência cardíaca e perda de apetite.

Uma semana depois, os grupos foram solicitados a mudar para avaliar se a ordem das bebidas fazia alguma diferença.

Mas depois de registrar os níveis de ressaca de ambos os grupos, os pesquisadores concluíram que não havia diferença. Simplificando, se você bebe demais, provavelmente ainda estará doente se seguir a regra ou não.

O Dr. Kai Hensel, pesquisador sênior da Universidade de Cambridge e um dos autores do estudo, disse que a equipe originalmente esperava encontrar bons conselhos científicos para ajudar as pessoas a evitar ressaca.

“Um resultado claro a favor de uma determinada ordem poderia ajudar a reduzir a ressaca e ajudar muitas pessoas a terem um dia melhor depois de uma noitada – embora encorajemos as pessoas a beber com responsabilidade”, afirma o Dr. Hensel. “Infelizmente, descobrimos que não há como evitar a inevitável ressaca apenas favorecendo uma ordem em detrimento de outra”.

Por mais desagradáveis que sejam as ressacas, o Dr. Hensel lembra que devemos nos lembrar que elas têm um benefício importante, pelo menos: “elas são um sinal de alerta protetor que certamente ajudará os seres humanos ao longo dos tempos a mudar seu comportamento futuro. Em outras palavras, elas podem nos ajudar a aprender com nossos erros ”.

A crença de que os bebedores podem ser poupados de uma ressaca bebendo cerveja primeiro pode ser encontrada em vários países.

Na Alemanha, diz o ditado “Wein auf Bier, das Ratchach Dir-Bier àuf Wein, das lass ‘sein”, que traduzido significa aproximadamente como “vinho depois da cerveja, eu aconselho você a beber, cerveja após vinho, deixa pra lá”.

Da mesma forma, em francês, o provérbio intitula-se “Bière sur vin estinein vin sur bière est belle manière” ou “cerveja após vinho é veneno, vinho após cerveja é um excelente caminho”.

Os sintomas da ressaca ocorrem quando concentrações de álcool no sangue acima do normal caem de volta a zero, causando desidratação, alterações na resposta imune e distúrbios do metabolismo e dos hormônios.

É provável que sejam influenciados por outros ingredientes que não o teor alcoólico puro, como os corantes e os aromas, e é por isso que os destilados claros são, muitas vezes, a melhor maneira de evitar uma pancada forte.

No entanto, mudar a ordem não teve impacto. De fato, o ditado em inglês: “grape or grain, but never the twain” (“Uva ou grão, mas nunca os dois”) pode ser o conselho mais sensato.

“Usando o vinho branco e cerveja lager, não encontramos nenhuma verdade na idéia de que beber cerveja antes do vinho lhe dá uma ressaca mais suave do que o contrário”, acrescenta o primeiro autor do estudo Dr. Jöran Köchling, da Universidade Witten/Herdecke. “A verdade é que beber muito de qualquer bebida alcoólica pode resultar em uma ressaca”.

O Dr. Köchling ressalta que a única forma confiável de prever como você se sentirá infeliz no dia seguinte é com o quanto você se sente bêbado e se está doente. “Todos nós deveríamos prestar atenção a essas bandeiras vermelhas ao beber”, alerta. A pesquisa foi publicada no American Journal of Clinical Nutrition.

Fonte: Meu Vinho