Conforme as horas passam, diminuem as chances de encontrar pessoas com vida sob escombros na cidade litorânea de Izmir

Passadas quase 48 horas desde o terremoto que destruiu predios da cidade de Izmir, na Turquia, a autoridade do país responsável por desastres naturais e gerenciamento de emergências contabiliza 62 mortes neste domingo (1º), enquanto a esperança por encontrar sobreviventes debaixo dos escombros diminui. 

Além das vítimas em solo turco, o tremor de terra de 6,9 graus na escala Richter deixou também duas crianças mortas na ilha da Samos, na Grécia. Com isso, o total de mortes está em 64.

Em Izmir, autoridades dizem que 20 edifícios foram destruídos no bairro de Bayrakli, distrito que passava por transformação urbana para ter prédios mais resistentes a terremotos. 

Pelo menos 920 pessoas sofreram algum tipo de ferimento em decorrência do desastre. Destas, cerca de 700 foram levadas a hospitais, sendo que 8 estão em UTIs, de acordo com o ministro da Saúde do país, Fahrettin Koca.

Até agora, 104 pessoas já foram resgatadas vivas dos escombros dos prédios desabados na cidade, disse o vice-presidente do país, Fuat Oktay, em uma entrevista à imprensa em Izmir, transmitida ao vivo pela NTV.

As equipes do serviço de emergência turco AFAD continuam seus trabalhos em nove prédios em Izmir, cidade que, com 4 milhões de habitantes, é a terceira maior da Turquia e a mais afetada pelo terremoto, cujo epicentro se localizou a 60 km.