A cerveja se chamará The Drummer e será exportada para a Califórnia.

O brasileiro é bom de copo e todo mundo sabe. Mas os talentos cervejeiros vão muito além de beber uma “breja gelada” e aparecem também na hora de produzir a bebida. Não é à toa que o músico Matt Sorum, ex-baterista do Guns N’Roses, fechou uma parceria com uma cervejaria local para produzir um rótulo.

A The Drummer será produzida pela Companhia Brasileira de Cerveja Artesanal (CBCA) e exportada para a Califórnia, EUA. A bebida chegará ao estado norte-americano em junho e será distribuída pela rede Bistrol Farms.

De acordo com o CEO da CBCA, Gustavo Barreira, eles estão criando e entregando produtos com uma assinatura e um terroir genuinamente brasileiro.

“O Brasil é um dos principais produtores de cerveja no mundo e, enquanto cervejeiros artesanais que somos, nosso produto é nossa forma de expressão. A parceria com o Matt, na The Drummer, é um perfeito blend entre atitude com drinkability e uma pitada de ousadia na tradição, como o bom rock n’ roll”, destaca.

Matt Sorum destacou em uma entrevista ao programa americano Rock on the Rocks que quer descrever a bebida como uma bateria. “Uma espécie de batimento cardíaco de energia e ritmo”, pontuou. Ele ressaltou ainda que a marca vai representar um estilo de vida e convidar as pessoas a viverem os sonhos.

A primeira versão da The Drummer será uma American Lager puro malte. Depois eles vão entregar também uma IPA e uma alternativa para quem quer fugir dos carboidratos, a Low Carb IPA. De acordo com Barreira, “estes estilos têm uma conexão forte com a Califórnia e com a mensagem que o Matt quer transmitir”.

Aqui e lá

A produção da cerveja será feita em Piracicaba, em São Paulo, mas o lançamento no Brasil ainda não tem data. Segundo o CEO da Companhia Brasileira de Cerveja Artesanal, eles querem esperar que Matt Sorum possa vir ao Brasil para fazer um lançamento especial.

Mas o grande trunfo da The Drummer é levar a bebida brasileira para fora do país. Gustavo Barreira ressalta que “o Brasil vem ganhando relevância no mercado cervejeiro mundial”. Ele pontua também que a bebida “é o ponto de contato da boa cerveja brasileira com o mercado mais competitivo do mundo, o americano”.

Fonte: Metrópoles