A morte do senador Major Olímpio, ocorrida hoje (18-mar), por causa de complicações relacionadas ao coronavírus, acendeu a luz de alerta no Congresso Nacional.

Devido ao risco de disseminação da doença entre parlamentares e servidores do Poder Legislativo, o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, impôs restrições à circulação de pessoas na Casa.

A medida, que vale por duas semanas, limita o funcionamento das comissões e do plenário “ao mínimo necessário”, conforme diz o comunicado assinado pela presidência da Câmara.

A ordem vale para deputados, assessores e demais funcionários do Legislativo. A proposta é realizar as atividades por meio da internet, com reuniões virtuais.

“O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira, decidiu restringir, por duas semanas, a presença física dos parlamentares e funcionários no plenário, comissões e dependências da Casa. A Câmara funcionará com o mínimo de servidores necessário para o funcionamento virtual das sessões. A medida é necessária diante do agravamento da pandemia” registra a nota.

No Senado, já há restrições ao trabalho presencial de parlamentares. O governo do Distrito Federal também editou decreto que suspendeu o funcionamento de diversas atividades, além de instituir um toque de recolher a partir das 22h.

Em sessão desta quinta-feira, deputados interromperam os trabalhos para fazer um minuto de silêncio em homenagem a Major Olímpio.