O clima de guerra entre as deputadas Joana Darc, Alessandra Campelo e o presidente da Assembleia Legislativa do AM, deputado Josué Neto, deve parar na Justiça.

Dessa vez, a disputa é pela reabertura das sessões presenciais no Legislativo Amazonense. Por causa da pandemia do coronavírus, as sessões estão sendo realizadas em ambiente virtual desde o final de março.

As deputadas Joana Darc e Alessandra Campelo defendem o retorno imediato das sessões presenciais e a reabertura do Legislativo à população. Josué argumenta que por enquanto não há segurança para os parlamentares e servidores da Assembleia, por isso as reuniões devem seguir no ambiente virtual.

No final de maio, o Legislativo tentou implantar um sistema híbrido, que misturaria sessões presenciais e virtuais, porém por causa de problemas técnicos a ideia não seguiu adiante.

Nesta semana, as deputadas voltaram a pressionar Josué Neto para colocar em votação a proposta de retomar as sessões híbridas. O presidente do Legislativo disse que voltaria a analisar a proposta, porém a medida não agradou as deputadas.

Elas ameaçaram entrar na Justiça se a Assembleia não acatar a proposta.

Josué Neto explicou que o plenário do Legislativo é um ambiente fechado, sem janelas, e que a única ventilação é feita por aparelhos de ar-condicionado. No local existe a concentração de pessoas, formada por deputados, assessores, jornalistas e servidores do Legislativo, o que contribuiria para a disseminação do coronavírus no local.