Em visita ao município de Silves, Braga tem apoio do deputado opositor ao atual governador, além de servidores da prefeitura municipal.

O período de campanha eleitoral ainda não começou, mas, o senador Eduardo Braga, aproveitou a liberação de recursos públicos para fazer uma espécie de “campanha disfarçada” para sua futura candidatura ao governo do Amazonas. O evento ocorreu no último domingo (1) em Silves (a 200 quilômetros da capital) e contou com a presença do deputado estadual Dermilson Chagas, que faz oposição ao governo atual de Wilson Lima, o deputado federal Silas Câmara, além servidores municipais da prefeitura de Silves.

Homens e mulheres com a camisa da prefeitura de Silves posam em foto com o senador

Dessa vez, Braga usou um discurso mais agressivo contra políticos que ele julga adversários, autointitulando-se de “A esperança do Amazonas”.

A frase de efeito usada para encerar o discurso denota comparações com administrações passadas, comprometendo a disputa igualitária pelo comando do Executivo no próximo pleito eleitoral.

“A esperança de dias melhores está chegando e essa esperança tem nome e sobrenome, Eduardo Braga.” disse o senador.

Além disso, Braga orientou os moradores de Silves a envolverem parentes e amigos que residem em Manaus para formarem uma “corrente solidária política”.

Veja o vídeo:

A postura do candidato de antecipação temporal para se lançar ao eleitor, usando recursos materiais e humanos – que representam valor econômico – para se beneficiar, afetam a normalidade e a legitimidade das eleições e apontam para suspeita de abuso de poder político.

As condutas ilegais praticadas – se comprovadas – podem levar à inelegibilidade do candidato por oito anos, entre outras punições, de acordo com a Lei Complementar nº 64/1990, a Lei de Inelegibilidades.

Segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a Constituição Federal prevê a proibição do abuso do poder político e econômico nas eleições ao dispor que devem ser estabelecidos por lei complementar os casos de inelegibilidade e seus prazos.

Fonte: Revista Cenarium