Presidente espera pelo avanço do projeto enviado ao Congresso Nacional e estabelece uma alíquota uniforme do ICMS.

Jair Bolsonaro promete uma solução para os preços dos combustíveis. O presidente espera pelo avanço do projeto enviado na última sexta-feira, 12, ao Congresso Nacional, que estabelece uma alíquota uniforme do ICMS. O texto coloca que o imposto caberá ao estado de destino e não irá variar mais em razão do preço do combustível ou das mudanças do câmbio. Em Santa Catarina, Jair Bolsonaro caminhou, sem máscara, pela praia em São Francisco do Sul. “Dando uma relaxada, mas tem trabalho. Continuamos discutindo a questão do preço dos combustíveis, tem novidade nessa semana com toda certeza. Também estamos preparando uma comitiva que vai a Israel para falar do spray que vai curar a Covid-19. Se Deus quiser, vai dar certo.”

O afago de simpatizantes na praia difere da pressão dos caminhoneiros de nova paralisação nacional em razão das seguidas altas no diesel — além dos demais combustíveis e do gás de cozinha. Autor de projeto da reforma tributária, o ex-deputado Luiz Carlos Hauly defende a unificação dos impostos. “Se você mexe de um lado prejudica o outro. Estados e municípios tem 50 milhões de alunos, quase um milhão de policiais. Temos muitos compromissos pela frente. Fazer um bom entendimento nacional da reforma tributária vai resolver essa questão sobre combustíveis, comida, remédios.”

Estados e o Distrito Federal devem disciplinar as diretrizes por lei complementar dentro de 90 dias, após deliberação do Conselho Nacional de Política Fazendária. No caso de aumento do tributo, o novo preço passa a valer depois de 90 dias para dar mais previsibilidade ao setor. Produtores e importadores de combustíveis serão contribuintes do imposto. O presidente já havia dito a apoiadores que os brasileiros deveriam “culpar as pessoas certas”, em uma referência aos governadores.

Fonte: JP Noticias