Aplicativo de mensagens é alvo de um inquérito no MPF, acusado de disseminar desinformação.

Questionado sobre a possível suspensão do Telegram no Brasil, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quinta-feira, 27, que o Planalto está “tratando do assunto”. O mandatário se posicionou contra a medida, que classificou como “covardia”. “A gente está vendo aqui. Covardia o que estão querendo fazer com o Brasil, né? Covardia. Estamos tratando do assunto”, declarou em conversa com apoiadores. O Telegram é um dos principais canais de comunicação do presidente, que tem mais de 1 milhão de inscritos. O aplicativo de mensagens é alvo de um inquérito do Ministério Público Federal e pode ser suspenso por disseminação de notícias falsas. No dia 6 de janeiro, o procurador regional Yuri Corrêa da Luz oficiou várias redes sociais para que prestassem esclarecimentos sobre espaços para denúncias de desinformação. O procurador afirmou, em entrevista ao Estadão, que o Telegram não se mostrou disposto a dialogar, ao contrário do Twitter, que incluiu um botão para denunciar fake news.

Fonte: JP Notícias