Ação das Forças Armadas deve acontecer até 31 de agosto; no mesmo despacho, o presidente ainda suspendeu por 120 dias a queima controlada em atividades agropastoris e florestais.

O governo federal autorizou o início de uma operação militar na Amazônia que vai durar até 31 de agosto, com o objetivo de combater crimes ambientais. O decreto de Garantia da Lei e da Ordem, assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, prevê o envio de tropas para o Amazonas, Mato Grosso, Pará e Rondônia. As Forças Armadas atuarão em coordenação com o Conselho da Amazônia e em articulação com os órgãos de proteção ambiental e de segurança pública. No mesmo despacho, Bolsonaro ainda suspendeu por 120 dias a queima controlada em atividades agropastoris e florestais. Segundo o Palácio do Planalto, a decisão tem como base dados do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, que “apontam grande quantidade de focos de queima no primeiro semestre deste ano, não apenas na Amazônia, mas também em outros biomas, como o Pantanal“. O decreto traz exceções, como as queimas controladas em áreas fora da Amazônia e Pantanal, “quando imprescindíveis à realização de práticas agrícolas, desde que autorizadas previamente pelo órgão ambiental estadual”.

Fonte: JP Noticias