Um barco vindo do Estado do Pará, trazendo 150 caixões, chegou a Manaus na madrugada desta sexta-feira. Os caixões foram comprados por um grupo de seis funerárias da capital, que temem ficar sem urnas para atender as famílias de vítimas do coronavírus.

O desembarque dos caixões foi feito de madrugada para não causar impacto nas pessoas que circulam para orla da Manaus Moderna. Embora o barco estivesse cheio de caixões e sem espaço para outras cargas, as 150 urnas atendem apenas um dia.

O presidente do Sindicato das Empresas Funerárias do Amazonas, Manoel Viana, disse que um carregamento com mais 300 caixões deve chegar no domingo. Outro carregamento com 400 urnas chegará na terça-feira (05/05).

A maior parte dos caixões foi comprada no Estado da Bahia e seguiu de estrada até o Pará. O restante do trajeto foi feito de barco, entre Santarém e Manaus.

Nesta semana, a Associação Brasileira de Empresas e Diretores do Setor Funerário (Abredif) informou que buscou ajuda do Governo Federal para disponibilizar um avião da Força Aérea para trazer 3 mil caixões para Manaus.

Segundo a Abredif, o pedido foi negado, o que levou as empresas funerárias de Manaus a comprar urnas de fábricas na Bahia.