Autor do projeto, Efraim Filho afirma que será possível garantir o benefício aos 17 setores contemplados mesmo sem a inclusão no orçamento.

O presidente Jair Bolsonaro promete sancionar a extensão da desoneração da folha em breve. No entanto, o Orçamento 2022 não incluiu os recursos para efetivação do benefício, o que preocupa empresários dos 17 setores contemplados, que temem que a medida seja vetada. Mesmo com as preocupações, o deputado federal Efraim Filho, autor do projeto, acredita que a ausência no orçamento não será um impasse. “Poderia estar [incluído] como uma reserva genérica, mas não estando não é impeditivo para que haja a sanção. Caso o governo entenda que seja necessário, bastaria um PLN para ajustar a situação, coisa corriqueira que existe no Congresso”, afirmou o parlamentar.

Considerando a situação econômica do Brasil e as projeções para o próximo ano, Efraim Filho defende que a desoneração da folha tem papel fundamental para a retomada econômica no país. “O grande desafio para 2022 é a preservação de empregos e a geração de novas oportunidades. Esse projeto dialoga exatamente com essa realidade, por isso tem que concentrar esforços para que a gente consiga encontrar soluções. […] A discussão está tão presa na burocracia que esquecemos de pensar o que significa a oneração da folha: aumentar impostos para os setores que mais empregam no Brasil. É incabível pensar que enquanto o Brasil ainda pensa em retomada econômica a saída seria aumentar impostos para quem gera emprego“, finalizou.

Fonte: JP Notícias