As provas do Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) programadas para o domingo (17), em Manaus, não serão realizadas nas escolas da rede municipal. A decisão em fechar as escolas partiu do prefeito David Almeida, que comunicou hoje ao Ministério da Educação a não liberação dos colégios.

A medida afeta 38 escolas que seriam cedidas para realização das provas.

No documento enviado ao governo Federal, David Almeida argumenta que Manaus passa por um descontrole na pandemia do coronavírus, por isso existe a necessidade de evitar aglomerações, como as provocadas pelo Enem.

No mesmo documento encaminhado ao Ministério da Educação, a prefeitura pede o adiamento das provas para o mês de fevereiro, quando, segundo a prefeitura, será possível diagnosticar se a pandemia voltou a níveis “normais”.

Os municípios de Parintins e Iranduba também solicitaram o adiamento das provas. A previsão do Ministério da Educação é que aproximadamente 165 mil estudantes do Amazonas participem do exame neste domingo.

Até o fechamento desta reportagem, o governo Federal não se pronunciou sobre o impacto do fechamento das escolas municipais de Manaus, tampouco sobre o pedido de adiamento das provas no Estado.

Ontem, a Justiça Federal em São Paulo negou o pedido de adiamento das provas solicitado pela prefeitura da capital paulista. As datas foram mantidas, mas ficou decidido que cabe aos municípios cancelar a realização do exame. Se isso acontecer, o Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira) terá que reaplicar a prova.