Rússia nega responsabilidade pelo ataque e diz ser mais uma ‘provocação’ de Kiev contra ela.

Pelo menos 39 pessoas morreram e outras 100 ficaram feridas em um bombardeio contra a estação de trem de Kramatorsk, cidade do leste da Ucrânia, onde centenas de pessoas aguardavam o transporte para deixar a região nesta sexta-feira, 8. “Mais de 30 pessoas morreram, e mais de 100 ficaram feridas, após um disparo de foguetes contra a estação (…) É um ataque deliberado”, afirmou o chefe da empresa ferroviária ucraniana Ukrzaliznytsia, Oleksander Kamyshin, no aplicativo Telegram. Em comunicado, o exército da Rússia negou ter atacado a estação de trem ucraniana e afirmou que se tratava de uma “provocação” de Kiev contra o Kremlin, para criar uma narrativa internacional contra o país. Também nesta semana, a Rússia negou outras situações de guerra com a mesma justificativa, após os ucranianos denunciarem massacres, crimes de guerra e genocídio na cidade de Bucha, próxima à capital Kiev.

https://twitter.com/Pavlo_Kyrylenko?ref_src=twsrc%5Etfw%7Ctwcamp%5Etweetembed%7Ctwterm%5E1512347079154229252%7Ctwgr%5E%7Ctwcon%5Es1_&ref_url=https%3A%2F%2Fd-36896063623126288694.ampproject.net%2F2203172113000%2Fframe.html

Nova estratégia

O sul da Ucrânia está sitiado por tropas russas, e o leste passou a ser alvo de bombardeios massivos. Essa é a nova configuração da estratégia militar do país comandado pelo presidente Vladimir Putin.

O Exército russo abandonou Kiev e regiões próximas da capital para concentrar os esforços das tropas em áreas separatistas pró-Rússia na região de Donbass, onde estão Donetsk e Lugansk, que se autoproclamaram independentes da Ucrânia.

Fonte: Metrópoles