Igrejas e templos religiosos em todo Amazonas ganharam a denominação de atividade essencial e, por isso, podem ser reabertas nesse período de pandemia de coronavírus.

Foi o que decidiu hoje a Assembleia Legislativa do Amazonas, ao votar e aprovar o projeto de n. 136/2020, de autoria do deputado estadual João Luiz, que é ligado à Igreja Universal do Reino de Deus.

O projeto segue agora para sanção do governador Wilson Lima. Se for sancionado, as igrejas e templos religiosos de qualquer culto poderão reabrir as portas na capital e interior do Estado.

A redação do projeto de lei argumenta que as atividades desenvolvidas pelas igrejas e templos se mostram essências em tempos de crise, levando oração e aconselhamento espiritual aos fieis.

“Percebe-se que os templos auxiliam não apenas na assistência espiritual, mas também social, e até emocional/mental, posto que o confinamento a que as pessoas estão sendo submetidas pode causar depressão e até aumento da violência conjugal”, argumenta o projeto.

O deputado Dermilson Chagas, que votou contra o projeto, disse que a reabertura dos templos e igrejas nesse momento de pico de pandemia pode contribuir para multiplicação de casos do coronavírus em Manaus.