A prefeitura de Manaus cancelou o contrato de 1.100 estagiários que atuavam nas secretarias municipais e pegou de surpresa os estudantes que usavam o salário para pagar as faculdades.

O cancelamento dos contratos faz parte da reforma administrativa anunciada dia 1º de junho pelo prefeito Arthur Neto, cujo objetivo é economizar R$ 500 milhões do orçamento municipal.

Os estudantes reclamam que foram pegos de surpresa e que seus contratos não representam impacto na folha de pagamento da prefeitura.

De acordo com a secretaria municipal de Administração, Planejamento e Gestão de Manaus (Semad), o cancelamento permitirá uma economia de apenas R$ 2,5 milhões.

Ainda segundo a Semad, conforme a situação da economia volte a se normalizar, os estagiários voltarão a ser contratados de forma gradativa.

O estudante Helano Felix Lima, que estagiava na secretaria municipal da Juventude, Esporte e Lazer (Semjel), argumenta que o cancelamento dos contratos não trará impacto na folha de pagamento da prefeitura.

“A decisão do prefeito prejudica aproximadamente 1,1 mil estudantes que dependiam do salário para pagar as faculdades”, afirmou Helano. “Sem o dinheiro, teremos que abandonar os cursos, aprofundando ainda mais a crise economia que atinge as universidades particulares”, acrescentou.

Os estudantes prometem para os próximos dias uma grande manifestação em frente à prefeitura. Objetivo é conseguir uma reunião com o prefeito Arthur Neto para fazê-lo mudar a decisão que cancelou os contratos de estágio.