O processo que pedia o impedimento do governador e vice-governador foi arquivado por falta de provas

Foi arquivado nesta sexta-feira (31), na Assembleia Legislativa do Amazonas, o processo que pedia o impeachment do governador Wilson Lima e do vice-governador, Carlos Almeida.

Por 10 votos favoráveis e um contrário, o parecer apresentado pelo relator da comissão de impeachment, deputado Doutor Gomes, foi aceito pelos parlamentares.

Votaram a favor do arquivamento do impeachment: a presidente e o relator da Comissão, Alessandra Campêlo (MDB) e Dr. Gomes (PSC), os deputados Roberto Cidade (PV), Joana Darc (PL), Saullo Vianna (PTB), Cabo Maciel (PL), Carlinhos Bessa (PV), Belarmino Lins (PP), Therezinha Ruiz (PSDB) e Adjuto Afonso (PDT).

Dessa forma, o processo que pedia o impedimento do governador e vice-governador foi arquivado por falta de provas, conforme expôs o parecer técnico produzido por Doutor Gomes.

O único voto contrário foi do deputado Wilker Barreto, que faz oposição ao governo. Os deputados Fausto Jr. e Delegado Péricles se abstiveram da votação. O deputado Dermilson Chagas estava ausente e por isso não votou.

O deputado Sinésio Campos, que estava participando por meio de videoconferência, teve problemas com a conexão de Internet e por isso não declarou o voto.

Com a aprovação do pedido de arquivamento ocorrido hoje, o próximo passo é ler o parecer técnico no plenário da Assembleia Legislativa, para apreciação dos 24 deputados estaduais.

Depois da leitura, o parecer será publicado no Diário Oficial da Aleam e, no prazo de 48 horas, voltará ao plenário para uma nova discussão.

Nesta fase haverá outra votação, onde os deputados decidirão se o processo será arquivado ou terá mais prazo para tramitar no Legislativo.